segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Correção da prova de História - 1ª fase da UNICAMP 2015

 UNICAMP 2015 (PRIMEIRA FASE)


Questão 48
Nos porões dos navios vindos do Oriente no século XIV, chegavam milhares de ratos à Europa, onde encontravam um ambiente favorável, dadas as condições precárias de higiene. Esses ratos estavam contaminados e suas pulgas transmitiam um agente etiológico aos homens através da picada. Os ratos também morriam da doença e, quando isto acontecia, as pulgas passavam rapidamente para os humanos, para obterem seu alimento, o sangue. Qual é o agente etiológico e qual é o nome popular dessa doença?

A) Vírus, peste bubônica.
B) Bactéria, peste bubônica.
C) Vírus, leptospirose.
D) Bactéria, leptospirose.

Alternativa Correta: [B] 
Comentário da questão:
A doença transmitida pelas pulgas contaminadas com bactérias é a peste bubônica.

Questão 49

Sinto no meu corpo
A dor que angustia
A lei ao meu redor
A lei que eu não queria
Estado violência
Estado hipocrisia
A lei que não é minha
A lei que eu não queria
(“Estado Violência”, Charles Gavin, em Titãs, Cabeça Dinossauro, WEA, 1989.)

A letra dessa música, gravada pelos Titãs,
A) critica a noção de Estado e sua ausência de controle, aspectos comuns ao liberalismo e ao marxismo.
B) constata que o corpo físico e o corpo político se relacionam em sociedades de controle.
C) critica o autoritarismo policial e o modelo de regulação proposto pelo anarquismo.
D) constata que o Estado autoritário, mesmo com boas leis, é sabotado pela figura do policial.


Alternativa Correta:[B]
Comentário da questão:
A letra da música aproxima-se de uma leitura foucultiana a respeito do poder burguês exercido na sociedade contemporânea, ao identificar a polícia como um aparelho repressivo cujo intuito é impor a obediência do cidadão à leis criadas e aplicadas à revelia dos seus interesses e vontades.
Podemos identificar a referência ao corpo físico (repressivo) na primeira estrofe e a referência ao corpo político em: “A lei que não é minha, a lei que eu não queria”

Questão 50
A maneira pela qual adquirimos qualquer conhecimento constitui suficiente prova de que não é inato.
(John Locke, Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural, 1988, p.13.)
O empirismo, corrente filosófica da qual Locke fazia parte,

A) afirma que o conhecimento não é inato, pois sua aquisição deriva da experiência.
B) é uma forma de ceticismo, pois nega que os conhecimentos possam ser obtidos.
C) aproxima-se do modelo científico cartesiano, ao negar a existência de ideias inatas.
D) defende que as ideias estão presentes na razão desde o nascimento.

Alternativa Correta:[A]
Comentário da questão:
O conhecimento empírico é aquele que tem origem na experiência, como defendido por Locke. Não há qualquer ideia ou conhecimento que preceda a experiência sensorial humana. Trata-se de um conhecimento a posteriorístico.

Questão 51 
Apenas a procriação de filhos legítimos, embora essencial, não justifica a escolha da esposa. As ambições políticas e as necessidades econômicas que as subentendem exercem um papel igualmente poderoso. Como demonstraram inúmeros estudos, os dirigentes atenienses casam-se entre si, e geralmente com o parente mais próximo possível, isto é, primos coirmãos. É sintomático que os autores antigos que nos informam sobre o casamento de homens políticos atenienses omitam os nomes das mulheres desposadas, mas nunca o nome do seu pai ou do seu marido precedente.
(Adaptado de Alain Corbin e outros, História da virilidade, vol. 1. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 62.)

Considerando o texto e a situação da mulher na Atenas clássica, podemos afirmar que se trata de uma sociedade
A) na qual o casamento também tem implicações políticas e sociais
B) que, por ser democrática, dá uma atenção especial aos direitos da mulher.
C) em que o amor é o critério principal para a formação de casais da elite
D) em que o direito da mulher se sobrepõe ao interesse político e social.


Alternativa Correta:[A]
Comentário da questão:
Na sociedade ateniense o gênero masculino tinha maior influência em todos os aspectos, portanto, dominava a cidade, tendo a mulher um estatuto social rebaixado. Os casamentos eram ocasiões em que duas famílias celebravam uma aliança, portanto, eram negociados, envolviam o dote, a manutenção de status social e acordos políticos. A mulher, parte mais frágil desses acordos, saía do domínio do pai e ia para o do marido, onde deveria executar a função de mão dos filhos da nova família. Vale destacar, a mulher era excluída dos direitos políticos, não participando das decisões da polis.


Questão 52 
São mais ou menos constantes as queixas dos bispos e dos clérigos sobre a manutenção das práticas pagãs no mínimo até o século X. Um conjunto de práticas pagãs se mantém quase intacto, sem levar em conta festas públicas pagãs como a de 1º de janeiro, que sobreviveu durante muito tempo.
(Adaptado de Michel Rouche, "Alta Idade Média Ocidental", em Paul Veyne (org.), História da vida privada: do Império Romano ao ano mil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p.504.)

Assinale a alternativa correta.
A) A crítica à institucionalização da Igreja, com a consolidação da hierarquia em torno do papa e dos bispos, teve sua principal manifestação na manutenção de práticas pagãs.
B) As práticas pagãs eram costumes de origem popular respeitados pelas ordens religiosas, como os beneditinos, mas criticados pelos bispos e pelo clero tradicional.
C) A diversidade de práticas religiosas era frequente na Alta Idade Média, apesar dos esforços institucionais do alto clero católico em combater as crenças populares e defender a unidade religiosa na Europa.
D) A presença do cristianismo não significou o desaparecimento de todas as práticas religiosas consideradas pagãs, pois algumas delas foram toleradas pela Igreja, como o sabá e as festas populares.


Alternativa Correta:[C]
Comentário da questão:

A Igreja Católica durante a Alta Idade Média foi confrontada com o paganismo, que teve muita no Império Romano e continuava atuante no período medieval. Em parte, a própria institucionalização da Igreja teve como causa o combate às crenças consideradas por ela pagãs, que comprometiam a evangelização e a unidade religiosa. A própria Inquisição foi instituída também com esse fim, combater as heresias entre as quais algumas práticas pagãs.





Questão 53
Engenheiros, naturalistas, matemáticos e artistas, sob o mecenato de Nassau, investigaram a natureza e transformaram a paisagem nordestina. Recife tornou-se uma das cidades mais importantes da América, com modernas pontes e prédios. Além do incentivo à arte, o governo [de Nassau] promulgou leis que eram iguais para todos, impedindo injustiças contra os antigos habitantes.
(Ronald Raminelli, Invasões Holandesa”, em Ronaldo Vainfas (dir.), Dicionário do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, p. 315.)

As transformações durante o governo de Maurício de Nassau (1637-1645), em Pernambuco, são exemplos de um contexto em que
A) o mecenato e a aplicação de leis idênticas para holandeses e luso-brasileiros eram uma continuidade do modelo renascentista, representando um período de modernização da região.
B) houve dinamização da economia açucareira na região, com a reativação de engenhos e perdão de dívidas dos antigos proprietários, impulsionando a remodelação da cidade de Recife.
C) houve a aplicação de princípios mercantilistas para a obtenção de lucros e a perseguição, por parte dos holandeses calvinistas, a judeus, cristãos-novos e católicos.
D) as expedições dos artistas e cientistas tinham o propósito de retratar a paisagem e identificar potencialidades econômicas da região, pois o açúcar estava em declínio no comércio internacional.


Alternativa Correta:[A]
Comentário da questão:
A chegada de Nassau ao Brasil do açúcar trouxe uma visão marcada por um dinamismo, urbanismo e certa ideia de modernização. A mentalidade renascentista deste holandês se reflete na modernização da cidade do Recife com drenagens, canais, calçamento de ruas, ou seja, uma nova concepção de cidade. Temos também Eckhout na pintura, retratando o exotismo dos trópicos. Além disso, a lógica comercial e uma noção de que a religião é privada e não deve ser controlada pelo Estado, garantindo liberdade de culto. Embora Nassau tenha renegociado dívidas, não houve perdão das mesmas junto aos latifundiários, o que inviabiliza a alternativa B.


Questão 54
A igualdade, a universalidade e o caráter natural dos direitos humanos ganharam uma expressão política direta pela primeira vez na Declaração da Independência americana de 1776 e na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789. Embora se referisse aos “antigos direitos e liberdades” estabelecidos pela lei inglesa e derivados da história inglesa, a Bill of Rights inglesa de 1689 não declarava a igualdade, a universalidade ou o caráter natural dos direitos. Os direitos são humanos não apenas por se oporem a direitos divinos ou de animais, mas por serem os direitos de humanos em relação uns aos outros.
(Adaptado de Lynn Hunt, A invenção dos direitos humanos: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 19.)


Assinale a alternativa correta.
A) A prática jurídica da igualdade foi expressa na Declaração de Independência dos EUA e assegurada nos países
independentes do continente americano após 1776.
B) A lei inglesa, ao referir-se aos antigos direitos, preservava a hierarquia, os privilégios exclusivos da nobreza sobre a propriedade e os castigos corporais como procedimento jurídico.
C) No contexto da Revolução Francesa, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão significou o fim do Antigo Regime, ainda que tenham sido mantidos os direitos tradicionais da nobreza.
D) Os direitos do homem, por serem direitos dos humanos em relação uns aos outros, significam que não pode haver privilégios, nem direitos divinos, mas devem prevalecer os princípios da igualdade e universalidade dos direitos entre
os humanos.



Alternativa Correta:[D]
Comentário da questão:
A publicação em 1789 da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, no contexto da Revolução Francesa, inaugura uma nova etapa na História ao proclamar a máxima iluminista que o homem nasce com direitos e estes não podem e não devem ser alienados, evocando o conceito de ser humano universal e de luta contra todo e qualquer privilégio assentado na religião ou nascimento. Apesar de a Inglaterra ter sido o berço do pensamento iluminista com John Locke, o Bill of Rights ainda não proclamava a igualdade absoluta entre os homens, focando mais na visão liberal de contenção do poder monárquico.


Questão 55
Um elemento importante nos anos de 1820 e 1830 foi o desejo de autonomia literária, tornado mais vivo depois da Independência. (…) O Romantismo apareceu aos poucos como caminho favorável à expressão própria da nação recém-fundada, pois fornecia concepções e modelos que permitiam afirmar o particularismo, e portanto a identidade, em oposição à Metrópole (…).
(Antonio Candido, O Romantismo no Brasil. São Paulo: Humanitas, 2004, p. 19.)


Tendo em vista o movimento literário mencionado no trecho acima, e seu alcance na história do período, é correto afirmar que
A) o nacionalismo foi impulsionado na literatura com a vinda da família real, em 1808, quando houve a introdução da imprensa no Rio de Janeiro e os primeiros livros circularam no país.
B) o indianismo ocupou um lugar de destaque na afirmação das identidades locais, expressando um viés decadentista e cético quanto à civilização nos trópicos.
C) os autores românticos foram importantes no período por produzirem uma literatura que expressava aspectos da natureza, da história e das sociedades locais.
D) a população nativa foi considerada a mais original dentro do Romantismo e, graças à atuação dos literatos, os indígenas passaram a ter direitos políticos que eram vetados aos negros.



Alternativa Correta:[C]
Comentário da questão:
Questão interdisciplinar envolvendo conhecimento de História e Literatura do séc. XIX, período reconhecido como a emergência do romantismo no Brasil. O texto faz referência à aproximação entre o romantismo e a construção da ideia de nação e identidade nacional. São características, portanto, deste período, a valorização de elementos naturais como forma de afirmação de uma particularidade “tipicamente brasileira” – em oposição à História geral de Portugal, da qual o Brasil havia se emancipado na década de 1820.


Questão 56
O relato a seguir é parte da biografia de um homem que passou sua infância no atual Mali.
Em novembro de 1918, a África, como a metrópole, festejou o fim da Grande Guerra Mundial e a vitória da França e seus aliados (…). Estávamos orgulhosos do papel desempenhado pelos soldados africanos na frente de batalha. (…) Os sobreviventes que voltaram em 1918-1919 foram a causa de um novo fenômeno social que influiu na evolução da mentalidade nativa. Estou falando do fim do mito do homem branco como ser invencível e sem defeitos.
(Amadou Hampâté Bâ, Amkoullel, o menino fula. São Paulo: Palas Athena/Casa das Áfricas, 2003, p. 312-313.)



Considerando o relato acima, é correto afirmar que
A) a presença dos soldados africanos contribuiu para construir uma identidade africana sustentada nos princípios bélicos do imperialismo europeu.
B) a presença de soldados africanos nos conflitos contribuiu para o questionamento do mito da superioridade do homem branco.
C) o autor, ao apresentar a fragilidade do homem branco, instaurou um discurso inverso de superioridade dos africanos.
D) o autor, ao apresentar o norte da África como parte da França, exaltou o projeto imperialista francês e suas estratégias de integração cultural.



Alternativa Correta: [B]
Comentário da questão:
Questão envolvendo o contexto do imperialismo europeu e 1ª Guerra Mundial. Ao final do século XIX e XX potências europeias disputavam territórios no interior da África e da Ásia, sendo esta concorrência um dos fatores da 1ª Guerra Mundial quando a tríplice entente (França, Inglaterra e Rússia) enfrentou a tríplice aliança (Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália).
Na justificativa para ocupação de áreas da África e Ásia, lançou-se mão de teorias raciais baseadas na crença da superioridade do homem branco europeu sobre população consideradas bárbaras, portanto, nãocivilizadas.
Como os colonos participaram da Grande Guerra como soldados, ao seu final, puderam formular um pensamento que questionava o mito da superioridade do homem branco – o qual legitimava o processo de dominação até então.

Vale notar que esse sentimento vai embasar futuramente as lutas pela independência.


Questão 57
O historiador Daniel Aarão Reis tem defendido que o regime instaurado em 1964 não seja conhecido apenas como “ditadura militar”, mas como “ditadura civil-militar”, pois contou com a participação civil.

Para exemplificar o envolvimento civil, é possível citar
A) manifestações populares como a “passeata dos 100 mil”, a campanha pela anistia e as “Marchas da família com Deus e pela liberdade”.
B) a atuação homogênea do clero brasileiro e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), que temiam a instauração do comunismo no país
C) a participação da população nas eleições parlamentares, legitimando as decisões políticas por meio de referendos.
D) o apoio de empresários, grupos midiáticos, políticos civis e classes médias urbanas que davam sustentação aos militares.


Alternativa Correta: [D]
Comentário da questão:
A expressão “Golpe civil militar” pode ser justificada devido ao apoio de setores da sociedade cvil a intervenção militar que depôs João Goulart.
Dentre esses setores, podemos citar grupos midiáticos, empresários e grupos políticos que, através de instituições como o IPES e IBAD, sustentaram e divulgaram acusações ao governo de João Goulart que acabaram mobilizando setores da classe média a participar da “marcha da família com Deus pela liberdade” uma serie de manifestações contrarias ao presidente . Embora “A marcha da família “seja citada na alternativa A, o candidato deveria se atentar para a “passeata dos 100 mil”, que ao contrario, foi realizada contra o regime militar. 


Questão 58

Cândido Portinari. Lavrador de Café. 1934. Óleo sobre tela (100 X 81 cm).


É correto afirmar que a obra acima reproduzida
A) faz menção a dois aspectos importantes da economia brasileira: a mão de obra negra na agricultura e o café como produto de exportação.
B) expressa a visão política do artista, ao figurar um corpo numa proporcionalidade clássica como forma de enaltecer a mão de obra negra na economia brasileira.
C) exalta o homem colonial e as riquezas da terra, considerando-se que o país possui uma economia agrícola diversificada desde aquele período.
D) apresenta uma crítica à destruição da natureza, como se observa na derrubada de árvores, e uma crítica à manutenção do trabalho escravo em regiões remotas do país.


Alternativa Correta A
Comentário da questão:
A obra de Cândido Portinari faz referência à importância da produção cafeeira para o Brasil Império e República.
Com base na análise da obra, nota-se a participação da mão de obra negra na produção do café, que era destinado para a exportação (o trem na imagem representa o café, plantado nas fazendas do interior, sendo levado ao porto para ser exportado para a Europa e EUA).
Importante ressaltar que na alternativa B o candidato poderia se confundir, pois realmente a obra destaca a visão política de Portinari (autor que retrata em outras obras trabalhadores), a qual valoriza a participação da mão de obra negra na economia brasileira. Porém, a questão da “proporcionalidade clássica” é questionável, pois a personagem principal não respeita os padrões estéticos tradicionais da produção clássica (greco-romana).

Questão 59
A primeira lei de Kepler demonstrou que os planetas se movem em órbitas elípticas e não circulares. A segunda lei mostrou que os planetas não se movem a uma velocidade constante.
(Adaptado Marvin Perry, Civilização Ocidental: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. 289.)
É correto afirmar que as leis de Kepler
A) confirmaram as teorias definidas por Copérnico e são exemplos do modelo científico que passou a vigorar a partir da Alta Idade Média.
B) confirmaram as teorias defendidas por Ptolomeu e permitiram a produção das cartas náuticas usadas no período do descobrimento da América.
C) são a base do modelo planetário geocêntrico e se tornaram as premissas cientificas que vigoram até hoje.
D) forneceram subsídios para demonstrar o modelo planetário heliocêntrico e criticar as posições defendidas pela Igreja naquela época.



Alternativa Correta D
Comentário da questão:
Embora Kepler tenha tido uma vida bastante atribulada com acusações de bruxaria sobre sua mãe, incerteza sobre a vida de soldado do pai em uma região de fronteira disputada por dois países, foi capaz de escrever um livro intitulado
“A Harmonia do Mundo”. Em sua obra, a proposição de órbitas elípticas rompe com a visão católica de que o círculo era a forma perfeita e assim a manifestação de Deus.
A aplicação deste conceito se dá na arte, às estéticas (com a valorização da pérola) e também ao universo com seus planetas e órbitas.
Estabelecer um novo formato às órbitas dos planetas não significava apenas um novo movimento dos planetas, mas uma nova concepção da relação de Deus com sua criação, o que significava um contraponto à visão da Igreja fustigada pelo Renascimento cientifico no qual se insere Kepler.


FONTE: Oficina do Estudante

2 comentários:

  1. Teria como deixar só a questão comentada e depois de tudo colocar o gabarito. Mais pra quando você tenta resolver a questão e não quer ver a resposta primeiro

    ResponderExcluir
  2. Teria como deixar só a questão comentada e depois de tudo colocar o gabarito. Mais pra quando você tenta resolver a questão e não quer ver a resposta primeiro

    ResponderExcluir