sexta-feira, 23 de maio de 2014

Roteiro de estudos: Crise da República Velha (1889-1930)

Roteiro de estudos: Crise da República Velha (1889-1930)
A década de 1920 e a Revolução de 1930

A DÉCADA DE 1920 E A REVOLUÇÃO DE 1930


More PowerPoint presentations from Edenilson



Lista de questões
1. (UNICAMP-2004) Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos, das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão do território nacional. 

(Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266). 

a) Qual foi a importância da greve de 1917 em São Paulo?
b) A partir do texto, identifique as formas de repressão adotadas pelo governo de São Paulo contra a greve de 1917.
c) Qual o papel da imprensa operária nas primeiras décadas do século XX no Brasil? 

resposta da questão 1:

a) Foi a mais importante ação do movimento operário durante a República Velha; seguiu a orientação anarcossindicalista e obteve um aumento real de salários. 

b) Prisão das lideranças operárias, paralisação da imprensa libertária e deportação de estrangeiros envolvidos na greve (únicas formas de repressão explicitadas pelo texto). 

c) Conscientizar o proletariado acerca de sua condição e incitá-lo à luta de classes. 




2. (UFF) Durante a Primeira República, a liderança do movimento operário no Rio de Janeiro e em São Paulo foi disputada por diversas correntes políticas. Dentre essas correntes pode-se identificar :
a) o socialismo utópico e o PTB
b) o trabalhismo e o PT
c) o anarco-sindicalismo e o socialismo
d) o queremismo e o anarco-sindicalismo
e) o Partido Comunista Brasileiro e o PTB



resposta da questão 2:[C]

3. (PUC-SP-2000) Sobre o movimento operário no Brasil: 

“No dia 4 de maio [de 1919] o Conselho-Geral dos Operários, constituído de representantes de todas as fábricas da cidade, formulou uma lista de reivindicações na sede da União Operária do Brás. Estava em primeiro lugar o dia de oito horas. Os trabalhadores novamente pediram a proibição do trabalho de menores de 14 anos e do trabalho noturno das mulheres.” 
 Dulles, John W. F. Anarquistas e Comunistas no Brasil (1900-1935).RJ: Nova Fronteira, 1973. 

Analise as afirmações a seguir: 

I. a presença de imigrantes entre os trabalhadores das fábricas, nos principais centros industriais do Brasil, contribuiu para a ideologização do movimento operário. 
II. o movimento operário brasileiro, no início do século, não pôde valer-se da imprensa como instrumento de divulgação de suas motivações, dada a predominância de analfabetos entre os trabalhadores. 
III. a especificidade das relações de trabalho no Brasil, nas primeiras décadas desse século, colocava as reivindicações do operariado brasileiro em completa disparidade, em relação ao movimento operário internacional. 
IV. o anarquismo foi ideologia rejeitada pelos trabalhadores brasileiros, desde suas primeiras iniciativas de organização, ao contrário do que ocorreu na Europa. 
V. os acontecimentos revolucionários na Rússia tiveram repercussões consideráveis na organização operária no Brasil, especialmente entre os anos de 1917-20. 

As afirmações corretas são 
a) II e IV 
b) III e V 
c) I e V 
d) II e III 
e) I e IV


resposta da questão 3:[C] 




4. (Unesp) Um líder anarquista assim se manifestou sobre a greve geral dos operários de 1917 em São Paulo: "Diga-se antes de tudo, que a greve geral, de 1917 não pode de maneira alguma se equiparar, sob qualquer aspecto que seja examinada, com outros movimentos (...) Isso não, absolutamente não! A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora."
(Edgard Leuenroth, "O Estado de S. Paulo", 27/03/1966).

A partir deste depoimento:
a) destaque, copiando, a parte do texto que evidencia as ideias anarquistas do referido líder;
b) caracterize as condições de trabalho da classe operária, no decorrer da República Velha, demonstrando a sua "vida tormentosa".


resposta da questão 4:
a) A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora.

b) Os trabalhadores urbanos durante a República Velha possuíam péssimas condições de vida e trabalho, estavam sujeitos à longas jornadas, recebiam baixos salários, tinham alimentação precária, condições insalubres de moradia, ausência de direitos trabalhistas, etc.



5. (Uerj)

 
(CAMPOS, Flavio de e MIRANDA, Renan G. "Oficina de história". São Paulo: Moderna, 2000.)

Ao longo do século XX, o movimento operário brasileiro se organizou e lutou de diferentes formas. Em 1917, ocorreu em São Paulo e no Rio de Janeiro a primeira greve geral na história desse movimento. A orientação ideológica das lideranças dessa greve e uma de suas reivindicações estão indicadas, respectivamente, em:
a) socialista - fim dos castigos corporais
b) comunista - luta por melhores salários
c) liberal - intervenção do Estado na economia
d) anarcossindicalista - diminuição da jornada de trabalho

resposta da questão 5:[D]



6. (UFSCar-2001) A industrialização brasileira foi um processo que, no século XX, atravessou momentos favoráveis e desfavoráveis a seu desenvolvimento. 
a) Explicite os vínculos entre a economia cafeeira na Primeira República, a Primeira Guerra Mundial e a industrialização ocorrida no período. 

b) Cite algumas medidas adotadas por Getúlio Vargas, nos anos quarenta, e por Juscelino Kubitschek, nos anos cinqüenta, favoráveis ao desenvolvimento industrial.


resposta da questão 6:
a) Durante a República Velha (1889-1930), a economia cafeeira gerou capital disponível para a expansão do setor industrial da região Sudeste. A grande empresa exportadora de café determinou 
a acumulação de capitais, a formação do mercado consumidor, o fornecimento da mão-de-obra de imigrantes para as fábricas e a criação de uma rede ferroviária que permitia a integração desse mercado. Com a Primeira Guerra Mundial (1914-18) a Europa passava por uma grave crise econômica. O Brasil tinha grande dificuldade para importar manufaturados das fábricas inglesas, o que estimulou a criação de milhares de indústrias de substituição de importações, especialmente em São Paulo e sobretudo têxteis e alimentícias. 

b) Na década de 1940, Getúlio Vargas impulsionou a implantação de um parque industrial, principalmente no setor da indústria de base. Destacando-se o papel do Estado. A entrada dos norte-americanos na Segunda Guerra Mundial, em troca apoio logístico, os Estados Unidos financiaram a Companhia Siderúrgica Nacional. Na segunda metade da década de 1950, Juscelino Kubitschek (JK) adotou uma política econômica conhecida como nacional-desenvolvimentista. O termo “nacional”, entretanto, referia-se ao projeto de fazer do Brasil uma grande nação, pois JK incentivou a entrada do capital estrangeiro e das multinacionais. O setor industrial foi muito favorecido pelo Plano de Metas, praticamente duplicando sua produção nos cinco anos de governo.


7. (UFBA-1998) O mesmo movimento histórico que transformou lentamente as bases da República Velha, e que explica o Tenentismo, explica igualmente o surgimento de um novo ator na história do Brasil: o operariado. A princípio imperceptível, o operariado como categoria social ganhou corpo nas duas primeiras décadas do presente século. 
(KOSHIBA, p. 286) 

Considerando o texto acima e os conhecimentos sobre o assunto: 

a) analise duas condições que favoreceram a formação do operariado no Brasil. 

b) estabeleça a comparação entre o ponto de vista do anarquismo e do socialismo quanto ao papel do sindicato e do Estado na atuação do operariado. 


resposta da questão 7:
a) O desenvolvimento industrial e imigração estrangeira 

b) Para os anarquistas o sindicato é o única instituição representativa do trabalhador, enquanto que o Estado deve ser eliminado. Para os socialistas o sindicato é uma organização importante também , mas é junto ao Estado que um partido operário deveria atuar para atender os interesses dos trabalhadores. 


8. (FGV) (...) tem-se ressaltado o [seu] caráter espontâneo (...) e não há motivo para se rever o fundo dessa qualificação. A ausência de um plano, de uma coordenação central, de objetivos pré-definidos é patente. Os sindicatos têm restrito significado; o Comitê de Defesa Proletária - expressão da liderança anarquista e em menor escala socialista - não só se forma no curso do movimento como procura apenas canalizar reivindicações. O padrão de agressividade da greve relaciona-se com o contexto sociocultural de São Paulo e com a fraqueza dos órgãos que poderiam exercer funções combinadas de representação e controle.
(Boris Fausto, "Trabalho urbano e conflito social")

O texto faz referência
a) à Greve Geral de 1917.
b) à Greve pelas oito horas de 1907.
c) à Intentona Comunista de 1935.
d) à Revolução Constitucionalista de 1932.
e) ao Levante Tenentista de 1924.


resposta da questão 8:[A]



9. (FGV) 7 de julho [1922] - Com um saldo de 17 mortos, todos entre os rebeldes, tropas leais ao presidente Epitácio Pessoa sufocaram hoje uma revolta de oficiais que há dois dias haviam tomado o Forte de Copacabana. Eles protestavam contra o fechamento do Clube Militar e a prisão de seu presidente (e também ex-presidente da República) Hermes da Fonseca.
(Jayme Brener, "Jornal do século XX")

Sobre o tenentismo, é correto afirmar que
a) apesar das divergências ideológicas em relação às correntes revolucionárias - como o anarquismo, o movimento dos oficiais fez uma série de alianças com o movimento operário, como na greve geral de 1917.
b) esse movimento não tinha uma clara proposta de reformulação política e defendia um poder centralizado e a purificação das instituições republicanas, além da diminuição do poder das oligarquias regionais.
c) foi um movimento inspirado no nazifascismo, que defendia o fortalecimento das instituições liberais-democráticas, como as eleições gerais e diretas, ao mesmo tempo em que apoiavam o federalismo.
d) teve como principal liderança em São Paulo o capitão Luis Carlos Prestes, mais tarde organizador da Ação Integralista Brasileira - AIB, defensor de uma ordem centralizada e de uma economia internacionalizada.
e) a ação de julho de 1922 foi contida com facilidade pelas tropas leais ao governo federal e se constituiu na única ação importante relacionada com os militares rebeldes, que passaram a apoiar uma saída negociada para a crise.




resposta da questão 9:[B]

10. (UFMG) Durante os anos 20, a República Brasileira foi marcada por uma grande crise. Todas as alternativas apresentam evidências dessa crise, EXCETO:
a) A Campanha Civilista de Rui Barbosa pela presidência da República.
b) A eclosão das revoltas tenentistas pela moralização do Estado.
c) A erupção de inúmeras greves e movimentos sociais dos trabalhadores urbanos.
d) A ocorrência de atos de banditismo social como o cangaço.
e) A decretação do estado de sítio no governo Artur Bernardes.


resposta da questão 10:[A]

11. (Unesp) Durante a República Velha, os "tenentes" apresentavam-se como salvadores, propondo solução para velhos problemas como a inflação, a alta do custo de vida, o "voto de cabresto", a corrupção e outros. Esclareça o que foi o "tenentismo" e assinale sua importância histórica.


resposta da questão 11:
Movimento de caráter positivista, propondo mudanças políticas que poriam fim as velhas oligarquias. Contribuiu com reformas: desencadeou a revolução de 1930.



12. (UFMG) Um dos episódios mais marcantes na história das revoluções brasileiras deu-se com a Coluna Prestes, que, entre 1924 e 1927, percorreu milhares de quilômetros do interior brasileiro na tentativa de manter acesa a luta por seus ideais. Como solução para os problemas brasileiros, os líderes da Coluna Prestes defendiam
a) o estabelecimento de uma ditadura militar, que alinhasse o País às experiências inovadoras do fascismo europeu.
b) a destruição do sistema oligárquico, acompanhada da reformulação dos costumes e práticas políticas vigentes.
c) a distribuição das terras dos latifúndios entre os camponeses, que seriam mobilizados para lutar nas fileiras da própria Coluna.
d) a realização de uma revolução comunista, seguida da estatização das propriedades e da implantação do socialismo.



resposta da questão 12:[B]




13. (UFRRJ) A charge exposta a seguir trata da política brasileira durante o período de crise do que se convencionou chamar de República Oligárquica.
 
Charge de STONI na revista Careta, ano 22, n 1103, de 10/08/1929 In: LEMOS, Renato (organizador). "Historia do Brasil através da caricatura" (1840-2001). Rio de Janeiro: Bom Texto Editora e Produtora de Arte e Editora Letras & Expressões, 2001. p.61.

A charge em questão joga com o nome de personagens importantes da política brasileira da época para compor o nome daquele que, conhecido como "Cavaleiro da Esperança", carregava então um enorme prestígio e as aspirações de mudança de grandes parcelas do povo brasileiro a partir de sua atuação
a) na revolta de julho de 1922, conhecida como os 18 do Forte de Copacabana, em contestação à eleição e posse de Artur Bernardes, representante das oligarquias dominantes.
b) no levante de novembro de 1935, em nome da Aliança Nacional Libertadora (ANL), contra o integralismo e o governo de Getúlio Vargas (1934/37).
c) na direção do Partido Comunista do Brasil (PCB), que se tornou vítima do autoritarismo do governo de Eurico Dutra (1946/51).
d) na direção da luta operária do período, com a organização do Bloco Operário e Camponês (BOC), que o lançou candidato à presidência da República em 1930.
e) na chamada "Coluna Miguel Costa - Prestes", que percorreu o Brasil buscando organizar um levante contra o governo das oligarquias rurais.

resposta da questão 13:[E]



14. (Ufrj 2011)  Porcentagem de votantes nas eleições presidenciais entre 1894 e 1930





Fonte: adaptado de Carvalho, José Murilo de. “Os três povos da República”. In: Carvalho, Maria Alice Resende de (org). República no Catete. Rio de Janeiro: Museu da República, 2001, p. 72.

Os dados eleitorais presentes na tabela indicam uma pequena participação popular nas eleições presidenciais na Primeira República (1890-1930).
Identifique duas restrições impostas pela Constituição de 1891 ao exercício do voto.

resposta da questão 14:
O candidato poderá indicar que estavam excluídos do voto: os mendigos; analfabetos; praças de pré, excetuando os alunos das escolas militares de ensino superior; os religiosos de ordens monásticas, sujeitas a voto de obediência, regra ou estatuto, que importasse a renúncia da liberdade individual.

Comentário da questão:

Uma das características mais destacada quanto à limitação ao exercício da cidadania é a exigência de alfabetização. Vale notar a que os “praças” não votavam, ou seja, os soldados que não possuíam patente (a maioria).                                     





15. (UFSCar-2006) Observe a imagem a seguir. 
 
(Tarcila do Amaral. Operários, 1933.) 


a) De qual movimento artístico brasileiro faz parte a autora desta obra? 
b) Apresente uma justificativa para o fato de a artista, nesta obra, ter retratado rostos de pessoas com características físicas diferentes. 

resposta da questão 15:

a) Tarsila do Amaral fez parte do movimento Modernista. 

b) A artista procurava contrapor-se à ideia de “massa” operária, no sentido de multidão amorfa, vista mais como  números em uma estatística do que como um conjunto de seres humanos.



16. (FUVEST) Em um balanço sobre a Primeira República no Brasil, Júlio de Mesquita Filho escreveu:

“... a política se orienta não mais pela vontade popular livremente manifesta, mas pelos caprichos de um número limitado de indivíduos sob cuja proteção se acolhem todos quantos pretendem um lugar nas assembleias estaduais e federais”. 
A crise nacional, 1925.

De acordo com o texto, o autor

a) critica a autonomia excessiva do poder legislativo. 
b) propõe limites ao federalismo.
c) defende o regime parlamentarista.
d) critica o poder oligárquico.
e) defende a supremacia política do sul do país.

resposta da questão 16: [D]


17. (ESPM-2007) Num momento em que o Estado republicano oligárquico já apresentava sintomas de declínio o problema criado pela sucessão, até então dividida entre São Paulo e Minas Gerais, desencadeou o fim do regime. 
(Leonel Itaussu. História do Brasil) 


Considerando que as atuais circunstâncias do país exige de todos o sacrifício das suas comodidades e interesses, em favor da defesa da causa pública, resolveram os abaixo-assinados fundar um partido ao qual denominaram Partido Democrático, nome assaz significativo por inculcar o seu principal objetivo, de obter para o povo o livre exercício da soberania e da escolha de seus representantes. 
(“Manifesto à Nação”. In Edgar Carone. A Primeira República 1889-1930) 


Os textos apresentam o cenário vivido pelo Brasil quando da disputa à sucessão do presidente Washington Luís. 
Quanto ao envolvimento do Partido Democrático nesta eleição, aponte a alternativa que demonstre qual era a composição do Partido Democrático (PD) e qual foi a sua posição na eleição: 
a) O PD era composto por membros da aristocracia cafeeira e apoiou a candidatura de Júlio Prestes. 
b) O PD era formado por dissidentes do Partido Republicano Paulista (PRP) e apoiou o candidato da Aliança Liberal. 
c) O PD era composto exclusivamente por membros da classe média e seguiu a atitude de Luís Carlos Prestes que se recusou a apoiar algum candidato. 
d) O PD surgiu como um movimento operário e seguiu as posições defendidas pelo Partido Comunista. 
e) O PD contava com intensa influência de militares e a exemplo dos tenentistas apoiou a candidatura de Júlio Prestes, candidato lançado pelo governo.

resposta da questão 17:[B]

18. (UFPR) A proclamação da República e suas primeiras décadas de governo foram acompanhadas de frustrações, pois houve a continuidade de muitas contradições sociais e econômicas que vinham da época do império. O movimento político de 1930 foi uma tentativa, em alguns pontos, de renovação política, embora sem uma perspectiva revolucionária. Com relação ao movimento de 1930 e seus desdobramentos políticos, analise os enunciados adiante. ( ) Esse movimento trouxe o fim do domínio das oligarquias do sudeste do país e uma renovação expressiva na composição do núcleo de poder que dirigia o Brasil. ( ) Houve uma política de modernização da sociedade brasileira, com a instalação imediata de indústrias de base e a formação de uma classe operária no Sudeste. ( ) Houve renovação política com a fundação de partidos e o crescimento de organizações sindicais anarquistas. ( ) Os militares tiveram seus espaços políticos diminuídos, com a centralização do poder nas mãos de Getúlio Vargas e das oligarquias gaúcha e mineira. ( ) A realização imediata de eleições para presidente da república reorganizou as forças políticas para instalação de uma sociedade democrática.



resposta da questão 18:F F F F F


19. (FUVEST) "Vitoriosa a revolução, abre-se uma espécie de vazio de poder por força do colapso político da burguesia do café e da incapacidade das demais frações de classe para assumi-lo, em caráter exclusivo. O Estado de compromisso é a resposta para esta situação. Embora os limites da ação do Estado sejam ampliados para além da consciência e das intenções de seus agentes, sob o impacto da crise econômica, o novo governo representa mais uma transação no interior das classes dominantes, tão bem expressa na intocabilidade sagrada das relações sociais no campo". 

(Boris Fausto, A REVOLUÇÃO DE 1930: HISTORIOGRAFIA E HISTÓRIA)
a) Explicite o que o autor apresenta como "Estado de compromisso".
b) Qual a relação entre "O Estado de compromisso" e a "intocabilidade sagrada das relações sociais no campo"?


resposta da questão 19:
a) Devido a decadência da hegemonia do café e a depressão econômica depois da Revolução de 1932 o Estado de Compromisso segundo Boris Fausto vem a ser o desenvolvimento do Estado em atuação na formação da burguesia industrial que iria tirar o país da dependência econômica em relação a agricultura e essa base econômica iria ficar a cargo da indústria, simbolizando novas visões que chegariam ao poder.

b) O Estado não visava fortalecer somente a burguesia industrial, mas também a burguesia cafeeira, pois representavam nossas riquezas e mesmo o café passando por crise ainda assim era a principal renda brasileira, representando a "intocabilidade sagrada."



20. (FUVEST/FGV) A Revolução de 1930 conduziu à adoção de diversas medidas em favor dos operários do Brasil. Quais foram essas medidas? Essas medidas podem ser consideradas como meramente paternalistas? Em caso de resposta negativa, até que ponto elas trouxeram um benefício real?

resposta da questão 20:
A revolução de 1930 e a Era Vargas que a sucedeu geraram algumas mudanças sociais e econômicas no país, dentre elas estão as leis trabalhistas aprovadas pelo presidente Getúlio Vargas, as referidas leis muitas vezes é retratada como uma medida de cunho populista, também é fruto de lutas históricas do movimento operário.

21. (CESGRANRIO) A crise da dominação oligárquica, que culminou com a Revolução de 1930, resultou de um processo crescente de transformações vividas pelo país dentre os quais se destaca:
a) a lenta politização dos trabalhadores rurais, após a Abolição, contestando o domínio dos "coronéis".
b) a emergência de uma classe operária ligada à industrialização, que assumiu na década de 1920 formas políticas mais organizadas, como o BOC (Bloco Operário Camponês).
c) o movimento Tenentista, disputa política no interior do Estado, sem ligação com as classes da sociedade.
d) o caráter modernizante dos setores oligárquicos, cada vez mais ligados aos empreendimentos urbano-industriais.
e) a crescente insatisfação dos Estados mais pobres contra o domínio do eixo "café-com-leite", expressa em rebeliões como as "guerras" do Cariri e de Princesa, ocorridas no Nordeste.


resposta  da questão 21:[B]

22. (UECE) A frase "façamos a revolução antes que o povo a faça", atribuída a Antônio Carlos, Presidente do Estado de Minas Gerais em 1930, revela alguns elementos a respeito do movimento que levou Getúlio Vargas ao poder e que ficou conhecido como "revolução de 30". Sobre este movimento, é correto afirmar que:
a) foi liderado pelas oligarquias cafeeiras paulistas, descontentes com as diretrizes do governo de Washington Luís
b) representou a vitória de uma burguesia urbano-industrial sobre as oligarquias agro-exportadoras, com reflexos imediatos nas estruturas sociais brasileiras
c) o movimento foi desencadeado, após a vitória de Getúlio Vargas nas eleições de 1930, pelas oligarquias descontentes com o resultado eleitoral
d) a tomada do poder foi efetuada em nome da moralidade eleitoral e administrativa, que era o lema da campanha do tenentismo durante toda a década de 20


resposta da questão 22:[D]


23. (ENEM 2011) É difícil encontrar um texto sobre a Proclamação da República no Brasil que não cite a afirmação de Aristides Lobo, no Diário Popular de São Paulo, de que “o povo assistiu àquilo bestializado”. Essa versão foi relida pelos enaltecedores da Revolução de 1930, que não descuidaram da forma republicana, mas realçaram a exclusão social, o militarismo e o estrangeirismo da fórmula implantada em 1889. Isto porque o Brasil brasileiro teria nascido em 1930.

MELLO, M. T. C. A república consentida: cultura democrática e científica no final do Império. Rio de Janeiro: FGV, 2007 (adaptado).

O texto defende que a consolidação de uma determinada memória sobre a Proclamação da República no Brasil teve, na Revolução de 1930, um de seus momentos mais importantes. Os defensores da Revolução de 1930 procuraram construir uma visão negativa para os eventos de 1889, porque esta era uma maneira de

a) valorizar as propostas políticas democráticas e liberais vitoriosas.
b) resgatar simbolicamente as figuras políticas ligadas à Monarquia.
c) criticar a política educacional adotada durante a República Velha.
d) legitimar a ordem política inaugurada com a chegada desse grupo ao poder.
e) destacar a ampla participação popular obtida no processo da Proclamação.


resposta da questão 23:[D]

Comentário da questão:
 Com a Revolução de 1930, tiveram início a Era Vargas e a formação de um novo bloco hegemônico na condução do Estado brasileiro. Para afirmar simbolicamente o grupo que assumia o poder, buscou-se primeiro depreciar o bloco deposto para, depois, consolidar uma nova identidade em torno de elementos como trabalhismo e nacionalismo

24. (MACKENZIE) Em 3 de outubro eclodiu a Revolução de 1930, pondo fim à República Velha. Dentre as causas deste episódio histórico destacamos:
a) a vitória da oposição nas eleições e o temor de revanchismos nas oligarquias derrotadas.
b) a dissidência das oligarquias nas eleições de 1930, fortalecendo a Aliança Liberal, derrotada, contudo, pela fraude da máquina do governo.
c) o programa da Aliança Liberal não identificado com as classes médias urbanas.
d) a sólida situação econômica do núcleo cafeeiro no início da década de trinta.
e) o apoio dos jovens militares, tenentistas, à política oligárquica nos anos vinte.


resposta da questão 24:[B]

25. (MACKENZIE) "Getúlio Vargas que estais no Rio Grande do Sul, glorificada seja a vossa luta. Venha a nós a vossa força, seja vitoriosa a vossa causa assim no sul como no norte. Perdoai as nossas covardias, assim como nós perdoamos aos legalistas. Não nos deixai cair em poder de Washington Luís e livrai-nos de Júlio Prestes. Amém". 
(O Padre Nosso dos Revolucionários) 

A causa revolucionária em 1930 estava vinculada:
a) ao fato dos aliancistas não aceitarem a derrota nas urnas e defenderem abertamente a revolução, liderados por Antonio Carlos.
b) à prisão de João Pessoa por agentes do governo federal.
c) à vitória aliancista nas eleições, gerando a retaliação da oligarquia cafeeira paulista.
d) ao rompimento do pacto entre oligarquia cafeeira e militares tenentistas.
e) à eleição do candidato oficial Júlio Prestes, acusado de fraude e às perseguições políticas lideradas por Washington Luís contra os aliancistas.


resposta da questão 25:[E]


26. (Unirio) A Revolução de 1930 marcou o fim da República Velha e inaugurou uma nova forma de atuação do Estado frente às transformações da sociedade brasileira, como exemplifica o:
a) atendimento de demandas de diferentes setores sociais, como operários e empresários.
b) afastamento do Estado da gestão da economia.
c) abandono dos setores produtores agrícolas tradicionais.
d) controle da alta hierarquia militar sobre os principais órgãos estatais.
e) apoio às oligarquias dominantes nos Estados.


resposta da questão 26:[A]

27. (Mackenzie) "É um homem calmo numa terra de esquentados. Um disciplinador numa terra de indisciplinados. Um prudente numa terra de imprudentes. Um sóbrio numa terra de esbanjadores. Um silencioso numa terra de papagaios". 
(Érico Veríssimo) 

A descrição refere-se ao líder da Revolução de 1930, Getúlio Vargas, que chegou ao poder através:
a) da vitória nas urnas sobre o candidato oficial Júlio Prestes.
b) do movimento armado, que se seguiu à derrota da Aliança Liberal nas eleições, agravada pelo assassinato de João Pessoa.
c) da coluna Prestes e do apoio incondicional à liderança tenentista.
d) da formação de um grupo homogêneo, composto de novas lideranças políticas e sem vínculos com as velhas oligarquias.
e) da definição de uma política voltada exclusivamente para o setor agrário, atingido pela crise do café.


resposta da questão 27:[B]




28. (UERJ) Não nos enganemos. Somos governados por uma minoria que, proprietária das fazendas e latifúndios, senhora dos meios de produção e apoiada nos imperialismos estrangeiros que nos exploram e nos dividem, só será dominada pela verdadeira insurreição generalizada, pelo levantamento consciente das mais vastas massas das nossas populações dos sertões e das cidades (...). 
(LUÍS CARLOS PRESTES. Manifesto de Maio - 1930. Citado por CARONE. O tenentismo, São Paulo, Difel, 1975.) 

As palavras de Luís Carlos Prestes referem-se ao movimento que ficou conhecido como Revolução de 1930 e tinha o seguinte significado:
a) movimento amplo de caráter militar, aliando tenentes e povo contra o domínio oligárquico
b) cisão na República do "café-com-leite", levando à união entre as oligarquias paulista e gaúcha
c) ruptura parcial dos interesses oligárquicos, acarretando o fim da hegemonia política dos cafeicultores
d) vitória dos interesses da burguesia industrial, apoiando, o exército na luta contra os interesses oligárquicos


resposta da questão 28:[C]



29. (CESGRANRIO) A Revolução de 1930 pode ser relacionada a várias transformações da sociedade brasileira, entre as quais NÃO podemos incluir:
a) o abandono dos setores agrícolas pelo governo, que privilegiou a industrialização.
b) a insatisfação dos setores médios urbanos com o domínio do processo político pelas oligarquias agrárias.
c) a crescente organização e mobilização da classe operária, surgida com o processo de industrialização.
d) a mobilização de setores militares, principalmente dos oficiais mais jovens, contra o regime.
e) às dissidências oligárquicas, materializadas na formação da Aliança Liberal.
                       

resposta da questão 29:[A]

30. (CESGRANRIO) A crise social e política que abalou a estabilidade da República Velha (1889 -1930) quebrou a hegemonia das oligarquias no poder e preparou o terreno para a Revolução de 1930 foi motivada pelo(a):
a) aprofundamento das cisões oligárquicas, pelas rebeliões tenentistas, pela insatisfação das classes médias urbanas excluídas da representação política e pela pressão reivindicatória das classes operárias.
b) aliança política entre a burguesia industrial, as classes médias urbanas e o operariado fabril contra o sistema liberal e democrático da República Velha, controlado pelas oligarquias agrárias.
c) quebra do compromisso político entre as oligarquias agrárias e os trabalhadores rurais, o que, durante toda a República Velha, impediu o desenvolvimento dos setores industriais e a organização do movimento operário.
d) fortalecimento da união entre as oligarquias paulistas e mineiras na indicação de Júlio Prestes à sucessão presidencial em 1930, o que desagradou as oposições constituídas pelas classes médias urbanas e operariado, defensores de Getúlio Vargas.
e) descontentamento da burguesia industrial com o tratamento dado pelas oligarquias ao movimento operário - "caso de polícia" - e sua decisão de apoiar a Revolução de 30 e a legislação trabalhista.


resposta da questão 30:[A]

31. (CESGRANRIO) Com relação à revolução de 1930, do ponto de vista econômico-social, é possível afirmar que ela:
a) assinala o início da primazia política das classes médias sobre o Estado;
b) representa a derrota da burguesia mercantil diante das pressões conjuntas do campesinato e operariado urbano;
c) traduz a vitória do tenentismo, das camadas médias e dos segmentos industriais sobre os setores agroexportadores;
d) identifica a passagem para a dominação burguesa no Brasil, com a vitória dos grupos industriais;
e) significa o início do desenvolvimentismo e a decadência da agricultura de exportação.


resposta da questão 31:[C]





32. (MACKENZIE)
I-O rompimento da política do café com leite enfraqueceu o grupo dominante, fortalecendo as oligarquias dissidentes, ávidas de poder.
II- O Tenentismo desde 1922 apresentava-se como um sintoma de insatisfação e mudança de sociedade: a luta política seria realizada pelo exército "em nome do povo".
III- Após a vitória de Júlio Prestes, João Pessoa, favorável à luta armada, desencadeou o movimento para a derrubada do governo.
IV- A política de perseguições do governo Washington Luís, a degola dos aliancistas e o assassinato de João Pessoa desencadearam o movimento revolucionário.
Considere as afirmações anteriores, relativas aos antecedentes da Revolução de 1930, e assinale:
a) se todas forem corretas.
b) se apenas I , II e IV forem corretas.
c) se apenas III for correta.
d) se apenas I e IV forem corretas.
e) se todas forem incorretas.


 resposta da questão 32:[B]


33. (FAAP) Com a vitória da Revolução de 1930, nasceu a Segunda República. Embora os historiadores ainda não estejam de acordo quanto à duração desse período da História brasileira, vamos considerar que se estendeu até o golpe político-militar de 1964. Durante esses 34 anos, algumas tendências importantes caracterizaram a evolução brasileira, entre elas; exceto:
a) o setor da economia, voltado para o mercado interno, superou em importância o setor exportador
b) um rápido processo de industrialização tornou a indústria o principal setor da economia nacional
c) a burguesia industrial, transformou-se no grupo social mais rico do país
d) a classe média fortaleceu-se e o operariado urbano cresceu rapidamente
e) acelerou-se o processo de ruralização, principalmente no Sudeste e Sul


resposta da questão 33:[E]



34. (ENEM 2011) Até que ponto, a partir de posturas e interesses diversos, as oligarquias paulista e mineira dominaram a cena política nacional na Primeira República? A união de ambas foi um traço fundamental, mas que não conta toda a história do período. A união foi feita com a preponderância de uma ou de outra das duas frações. Com o tempo, surgiram as discussões e um grande desacerto final.

FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004 (adaptado).

A imagem de um bem-sucedido acordo café com leite entre São Paulo e Minas, um acordo de alternância de presidência entre os dois estados, não passa de uma idealização de um processo muito mais caótico e cheio de conflitos.Profundas divergências políticas colocavam-nos em confronto por causa de diferentes graus de envolvimento no comércio exterior.

TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1989 (adaptado).

Para a caracterização do processo político durante a Primeira República, utiliza-se com frequência a expressão Política do Café com Leite. No entanto, os textos apresentam a seguinte ressalva a sua utilização:

a) A riqueza gerada pelo café dava à oligarquia paulista a prerrogativa de indicar os candidatos à presidência, sem necessidade de alianças.
b) As divisões políticas internas de cada estado da federação invalidavam o uso do conceito de aliança entre estados para este período.
c) As disputas políticas do período contradiziam a suposta estabilidade da aliança entre mineiros e paulistas.
d) A centralização do poder no executivo federal impedia a formação de uma aliança duradoura entre as oligarquias.
e) A diversificação da produção e a preocupação com o mercado interno unificavam os interesses das oligarquias.





resposta da questão 34:[C]

terça-feira, 20 de maio de 2014

Roteiro de estudos: República dos Excluídos

Roteiro de estudos: República dos Excluídos 

A REPÚBLICA DOS EXCLUÍDOS


More PowerPoint presentations from Edenilson

Lista de questões - História do Brasil - República dos Excluídos

1. (FUVEST-2008) A vitória do regime republicano no Brasil (1889) e a consequente derrubada da monarquia podem ser explicadas, levando-se em conta diversos fatores. Entre eles, explique 
a) a importância do Partido Republicano. 

b) o papel dos militares apoiados nas idéias positivistas. 

resposta da questão 1:

a) Ainda que as idéias republicanas possam ser detectadas em vários momentos de nossa história política anteriores à década de 1870, somente nesse período seus adeptos se organizaram em partidos. Com a fundação do Partido Republicano do Rio de Janeiro e, alguns meses depois, a do Partido Republicano Paulista 
e de congêneres em outras províncias, o movimento a favor da República ganhou uma organização e uma capacidade de propaganda que muito contribuíram para seu fortalecimento. 

b) Se os ideais positivistas que associavam a ideia de governo forte à ideia republicana foram importante incentivo à adesão de militares ao movimento, inegavelmente a nutrida insatisfação com o regime monárquico brasileiro, que os marginalizava da política nacional, contribuiu para que participassem do golpe que instituiu o novo regime.

 2. (UECE-2007) “Havia no Brasil pelo menos três correntes que disputavam a definição da natureza do novo regime: o liberalismo à americana, o jacobinismo à francesa e o positivismo de Augusto Conte, defendido por Benjamin Constant. As três correntes combateram-se intensamente nos anos iniciais da República até a vitória de uma delas”. 
Fonte: CARVALHO, José Murilo. A Formação das Almas – O imaginário da República no Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1990, pp. 9-11. 

A corrente vencedora foi: 
a) A corrente Positivista de Benjamin Constant. 
b) A corrente Liberal Americana. 
c) A corrente Jacobina Francesa. 
d) Um misto das correntes Positivista e Jacobina. 


resposta da questão 2:[B]
Comentário da questão: 
O projeto de República Liberal, com base no federalismo descentralizado com grande autonomia para os estados, defendido pelos cafeicultores paulista, prevaleceu entre 1894 e 1930, durante a chamada República Oligárquica.


3. (Uff) "O instrumento clássico de legitimação de regimes políticos no mundo moderno é, naturalmente, a ideologia, a justificação racional da organização do poder. Havia no Brasil pelo menos três correntes que disputavam a definição da natureza do novo regime: o liberalismo à americana [Alberto Salles], o jacobinismo à francesa [Floriano Peixoto] e o positivismo [Miguel Lemos]. As três correntes combateram-se intensamente nos anos iniciais da República, até a vitória da primeira delas, por volta da virada do século"
CARVALHO, J. M. de. A Formação das Almas - o imaginário da República no Brasil. S. Paulo, Companhia das Letras, 1990, p. 9. (Adaptado)

Com base no texto, analise o projeto de República proposto por cada uma das correntes mencionadas.


resposta da questão 3:

Liberalismo à americana
- defesa de uma sociedade regulada pelo mercado, sem a interferência estatal;
- adotado pelas oligarquias paulistas e mineiras;
Jacobinismo à francesa
- pregava a participação direta dos cidadãos no governo;
- defendido por profissionais liberais;
Positivismo
- defendia um Executivo forte e um Estado intervencionista;
- grande parte dos militares identificava-se com esse projeto;



4. (Unesp) Com a proclamação da República no Brasil, as antigas províncias receberam a denominação de estados. A mudança de província no Império para estado na primeira República não foi somente questão de nomenclatura, considerando que
a) os presidentes das províncias indicavam o primeiro ministro no parlamentarismo brasileiro e os estados eram administrados por interventores nomeados pelo presidente.
b) os governantes das províncias eram membros das famílias tradicionais da sociedade local e os presidentes dos estados atendiam aos interesses gerais da nação.
c) os presidentes das províncias exerciam um mandato de quatro anos, enquanto na presidência dos estados havia grande rotatividade política provocada por lutas partidárias.
d) as províncias substituíam o poder central na manutenção da integridade territorial do país, enquanto os estados delegavam essa função ao presidente da república.
e) os presidentes das províncias eram indicados pelo poder central, enquanto os presidentes dos estados eram eleitos pelas situações políticas e sociais regionais.


resposta da questão 4:[E]


5. (UFRS) Observe o cartum a seguir, que faz referência à proclamação da República no Brasil.

 

Considere as seguintes afirmações, referentes a elementos do cartum.
I - A figura feminina empunhando a bandeira representa a nova república brasileira, instaurada através do golpe militar de 15 de novembro.
II - A bandeira representada na imagem constituiria a versão preliminar da atual, que seria acrescida da divisa positivista.
III - Em segundo plano, montado a cavalo, aparece a figura do suposto "proclamador" da República, o marechal Floriano Peixoto.

Quais estão corretas?
a) Apenas II.
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.


resposta da questão 5:[B]

6. (Uerj) Um dos documentos mais curiosos para a história da grande data de 15 de novembro consiste, a nosso ver, no aspecto inalterável da rua do Ouvidor, nos dias 15, 16 e 17, onde, a não ser a passagem das forças e a maior animação das pessoas, dir-se-ia nada ter acontecido. Tão preparado estava o nosso país para a República, tão geral foi o consenso do povo a essa reforma, tão unânimes as adesões que ela obteve, que a rua do Ouvidor, onde toda a nossa vida, todas as nossas perturbações se refletem com intensidade, não perdeu absolutamente o seu caráter de ponto de reunião da moda. 
(Adaptado de THOME,J. "Crônica do chic". 1889. Apud PRIORE,M.D.et alli. Documentos de História do Brasil de Cabral aos anos 90. São Paulo: Scipione, 1997.)

"Em frase que se tornou famosa, Aristides Lobo, o propagandista da República, manifestou seu desapontamento com a maneira pela qual foi proclamado o novo regime. Segundo ele, o povo, que pelo ideário republicano deveria ter sido protagonista dos acontecimentos, assistira a tudo bestializado, sem compreender o que se passava, julgando ver uma parada militar."
(CARVALHO, J.M. "Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.)

Nos textos apresentados, encontram-se as opiniões de dois observadores do fim do século XIX - José Thome e Aristides Lobo - a respeito da Proclamação da República. A divergência entre as posições dos autores sobre o evento refere-se ao seguinte aspecto:
a) ideário republicano
b) reação da população
c) caráter elitista do movimento
d) caracterização política do regime


resposta da questão 6:[B]



7. (Uerj)


 

(Apud FAUSTO, Boris. HISTÓRIA DO BRASIL. São Paulo: Edusp, 1995.)

"Glória à pátria!", dizia a "Revista Illustrada", um dia após a proclamação da República no Brasil, numa comemoração que representava o desejo de mudanças que trouxessem ampliação dos direitos políticos e da cidadania. No que se refere ao exercício dos direitos políticos, a primeira Constituição republicana - de 1891 - tem como uma de suas características:
a) o direito de cidadania às mulheres, pela introdução do voto feminino
b) a exclusão das camadas populares, com a instituição de sistema eleitoral direto
c) o aumento do colégio eleitoral, pela atribuição do direito de voto aos analfabetos
d) a possibilidade do controle dos eleitores pelos proprietários rurais, através do voto aberto

resposta da questão 7:[D]

8. (Unicamp) Após a proclamação da República, uma nova bandeira nacional foi criada para substituir a antiga bandeira do Império. O lema da nova bandeira era Ordem e Progresso.
a) Por que o governo republicano determinou que se substituísse a antiga bandeira?

b) Explique por que, naquele momento, era importante para o governo republicano demonstrar sua preocupação com a ordem pública e seu compromisso com o progresso.


resposta da questão 8:
a) Para simbolizar um novo regime.

b) Para mostrar sua preocupação com a ordem e o progresso do país, demonstrando as vantagens do nosso regime e garantir á todos de que houve mudança.


9. (Mackenzie) "Policarpo era um patriota; monarquista conservador, foi ardoroso defensor do governo (forte) de Floriano a favor do qual engajou-se na luta contra a Armada rebelada. Acabou preso, condenado e executado. Teve um triste fim."
(Afonso H. Lima Barreto, TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA).

O período da República referido no texto é:
a) a República da Espada.
b) o Estado Novo.
c) a República dos Coronéis.
d) a República Nova.
e) a Fase Populista.


resposta da questão 9:[A]

10. (Unifesp) "Mete dinheiro na bolsa - ou no bolso, diremos hoje - e anda, vai para diante, firme, confiança na alma, ainda que tenhas feito algum negócio escuro. Não há escuridão quando há fósforos. Mete dinheiro no bolso. Vende-te bem, não compres mal os outros, corrompe e sê corrompido, mas não te esqueças do dinheiro... E depressa, depressa, antes que o dinheiro acabe".
(Machado de Assis, 1896.)

Essa passagem evoca o clima que se criou no país com
a) a valorização do café.
b) a Abolição.
c) a Guerra do Paraguai.
d) o Encilhamento.
e) o ciclo da borracha.


resposta da questão 10:[D]



11. (ENEM 2011)
Art. 92. São excluídos de votar nas Assembleias Paroquiais:
I. Os menores de vinte e cinco anos, nos quais não se compreendem os casados, e Oficiais Militares que forem maiores de vinte e um anos, os Bacharéis Formados e Clérigos de Ordens Sacras.
IV. Os Religiosos, e quaisquer que vivam em Comunidade claustral.
V. Os que não tiverem de renda líquida anual cem mil réis por bens de raiz, indústria, comércio ou empregos.
Constituição Política do Império do Brasil (1824). Disponível em: https://legislação.planalto.gov.br. Acesso em: 27 abr. 2010 (adaptado).

A legislação espelha os conflitos políticos e sociais do contexto histórico de sua formulação. A Constituição de 1824 regulamentou o direito de voto dos “cidadãos brasileiros” com o objetivo de garantir
a) O fim da inspiração liberal sobre a estrutura política brasileira.
b) a ampliação do direito de voto para maioria dos brasileiros nascidos livres.
c) a concentração de poderes na região produtora de café, o Sudeste brasileiro.
d) o controle do poder político nas mãos dos grandes proprietários e comerciantes.
e) a diminuição da interferência da Igreja Católica nas decisões político-administrativas.



resposta da questão 11:[D]

12. (PUCRJ) 
Constituição de 1891:"Art. 70. São eleitores os cidadãos maiores de 21 anos.
    § 1o Não podem alistar-se eleitores para as
    eleições federais ou para a dos estados:
      1o os mendigos;
      2o os analfabetos;
      (...)
Art. 72. (...)
    §2o Todos são iguais perante a lei. A República não admite privilégio de nascimento, desconhece foros de nobreza e extingue as ordens honoríficas existentes e todas as suas prerrogativas e regalias, bem como os títulos nobiliárquicos e de conselho.
    §7o Nenhum culto ou Igreja gozará de subvenção oficial nem terá relações de dependência ou aliança com o governo da União ou o dos estados."
Os artigos reproduzidos acima evidenciam alguns dos pontos importantes da Carta de 1891 e do projeto político modelador do Estado brasileiro, na República Velha (1889-1930). Assinale a afirmativa em que são analisados corretamente esses pontos importantes, relacionados às Constituições de 1824 ou 1934 e aos momentos históricos inaugurados por estas:

a) A restrição ao voto dos analfabetos desaparece na Constituição de 1934, que libera o voto para todos, independentemente de grau de instrução, ensejando um período de grande participação popular, estimulada por comunistas e integralistas.
b) O impedimento do voto aos que não trabalham - os mendigos -, fruto do preconceito contra homens pobres, é revisto nos anos 30, a partir da regulamentação do mercado de trabalho e da incorporação da legislação social na Constituição de 1934.
c) A inexistência de religião oficial, evidenciando a separação entre o Estado e a Igreja, demarca uma diferença em relação à Constituição do período imperial, quando, através do direito do padroado, o Imperador nomeava bispos e tinha autoridade para conceder ou negar beneplácito aos decretos papais.
d) Se a igualdade perante a lei sublinha uma novidade em relação ao passado escravista, a extinção das ordens honoríficas não é, porém, uma particularidade desse momento. Ela já havia sido afirmada no período da Independência do Brasil e incorporada à Constituição de 1824, rompendo-se assim toda e qualquer ligação com a nobreza portuguesa.



e) A instituição do sufrágio universal para todos os brasileiros acima de 21 anos, homens e mulheres, caracteriza uma ampliação dos critérios de cidadania em relação à Constituição de 1824.


resposta da questão 12:[C]

13. (ENEM 2011) O artigo 402 do Código penal Brasileiro de 1890 dizia: Fazer nas ruas e praças públicas exercícios de agilidade e destreza corporal, conhecidos pela denominação de capoeiragem: andar em correrias, com armas ou instrumentos capazes de produzir uma lesão corporal, provocando tumulto ou desordens. Pena: Prisão de dois a seis meses.
SOARES, C. E. L. A Negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro: 1850-1890. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1994 (adaptado).

O artigo do primeiro Código Penal Republicano naturaliza medidas socialmente excludentes. Nesse contexto, tal regulamento expressava
a) a manutenção de parte da legislação do Império com vistas ao controle da criminalidade urbana.
b) a defesa do retorno do cativeiro e escravidão pelos primeiros governos do período republicano.
c) o caráter disciplinador de uma sociedade industrializada, desejosa de um equilíbrio entre progresso e civilização.
d)a criminalização de práticas culturais e a persistência de valores que vinculavam certos grupos ao passado de escravidão.
e) o poder do regime escravista, que mantinha os negros como categoria social inferior, discriminada e segregada.


resposta da questão 13:[D]
Comentário da questão:
A proibição da capoeiragem pelo Código Penal Brasileiro, no início da República Velha, revela a preocupação dos novos donos do poder em criminalizar práticas e valores vinculados ao passado escravista.





14. (OSEC-SP) "A Constituição de 1891 representou um vitória dos grandes Estados: a forma federativa deu-lhes ampla autonomia, com a possibilidade de contrair empréstimos externos e constituir forças militares próprias e uma justiça estadual..." 

O texto relaciona-se com. 
a) A Revolução de 1930. 
b) A Política dos Governadores. 
c) A Política de Centralização do Poder. 
d) O Enchilhamento. 
e) O "Funding Loan". 

resposta da questão 14:[B]

15. (IFCE) São aspectos do Governo de Floriano Peixoto:
a) promulgação da Constituição de 1891, Revolta da Chibata e Crise do Encilhamento.
b) a grande naturalização de estrangeiros, Revolta da Vacina e Política dos Governadores.
c) a questão da legalidade, a Revolta da Armada e a Revolta Federalista no Rio Grande do Sul.
d) reorganização da Comissão Verificadora de Poderes, aplicação de uma nova política econômica marcada pelo "funding loan" e fortalecimento da Política do Café com Leite.
e) a Guerra do Contestado, o combate ao coronelismo e o tenentismo.


resposta da questão 15:[C]

16. (G1) Foram as revoltas ocorridas durante o governo de Floriano Peixoto:
a) Revolução Federalista e Revolta da Armada;
b) Revolta de Canudos e Revolução Praieira;
c) Revolta da Chibata e Revolta do Contestado;
d) Revolução Federalista e Coluna Prestes;
e) Revolta da Armada e Revolta do Forte de Copacabana.


resposta da questão 16:[A]

17. (FGV) A cidade do Rio de Janeiro foi bombardeada em setembro de 1893. O acontecimento refere-se à:
a) Revolta da Vacina
b) Reação Republicana
c) Revolta da Armada
d) Derrubada de Floriano Peixoto
e) Revolta da Chibata


resposta da questão 17:[C]

18. (IFCE) São aspectos do Governo de Floriano Peixoto:
a) promulgação da Constituição de 1891, Revolta da Chibata e Crise do Encilhamento.
b) a grande naturalização de estrangeiros, Revolta da Vacina e Política dos Governadores.
c) a questão da legalidade, a Revolta da Armada e a Revolta Federalista no Rio Grande do Sul.
d) reorganização da Comissão Verificadora de Poderes, aplicação de uma nova política econômica marcada pelo "funding loan" e fortalecimento da Política do Café com Leite.
e) a Guerra do Contestado, o combate ao coronelismo e o tenentismo.


resposta da questão 18:[C]

19. (G1) Foram as revoltas ocorridas durante o governo de Floriano Peixoto:
a) Revolução Federalista e Revolta da Armada;
b) Revolta de Canudos e Revolução Praieira;
c) Revolta da Chibata e Revolta do Contestado;
d) Revolução Federalista e Coluna Prestes;
e) Revolta da Armada e Revolta do Forte de Copacabana.


resposta da questão 19:[A]

20. (FGV) A cidade do Rio de Janeiro foi bombardeada em setembro de 1893. O acontecimento refere-se à:
a) Revolta da Vacina
b) Reação Republicana
c) Revolta da Armada
d) Derrubada de Floriano Peixoto
e) Revolta da Chibata


resposta da questão 20:[C]

21. (UFRJ-2005) Poucos anos após sua proclamação, a república no Brasil já sofria contestações. A Revolta da Armada, que eclodiu no governo de Floriano Peixoto, refletiu as insatisfações decorrentes da implantação do sistema republicano no país, somando-se a outras rebeliões como a Federalista, ocorrida na mesma época, 
no Rio Grande do Sul. Esta última, apesar de ser uma rebelião regional, também foi influenciada pelas tensões políticas que caracterizaram esse governo. 

a) Explique um fator que tenha levado os membros da Marinha a se rebelarem contra o governo de Floriano Peixoto. 

b) Descreva a situação política do Rio Grande do Sul durante esse governo, de forma a explicar a aproximação entre federalistas gaúchos e integrantes da Revolta da Armada. 


resposta da questão 21:
a) Uma dentre as explicações: 

Descontentamento de oficiais da Marinha, com a perda dos postos de destaque no cenário político nacional, em detrimento dos oficiais do Exército. 

Eram contrários à posse de Floriano Peixoto na presidência, considerando-a inconstitucional por não haverem transcorridos dois anos do mandato de Deodoro da Fonseca. 

b) Os dois grupos oligárquicos gaúchos – os maragatos e os chimangos ou pica-paus – divergiam quanto ao caráter da política nos níveis regional e nacional. 
Os maragatos eram federalistas e acusados de simpatizantes da monarquia, levando o governo federal a apoiar os chimangos, defensores da centralização política que caracterizava o governo de Floriano Peixoto. 


22.  (ESPM-2007) No Rio Grande do Sul, a violência atingiu um grau de sofisticado barbarismo, tendo até matadores profissionais, como Adão Latorre, homem que trabalhava para os ‘maragatos’ executando ‘pica-paus’. Durante a luta, tanto ‘pica-paus’ como ‘maragatos’ praticaram atos de extrema violência e barbarismo. 
(Renato Mocellin. A Revolução da Degola) 

O texto deve ser relacionado com: 
a) A Revolução Farroupilha. 
b) A Revolução Praieira. 
c) A Confederação do Equador. 
d) A Revolução Federalista. 
e) A Guerra do Contestado.

resposta da questão 22:[D] 


23. (FGV 2010)




Fonte: Civita, V. (ed.) Grandes Personagens da nossa História, vol. IV. São Paulo: Abril Cultural, 1970. p. 741-742 

Os retratos acima são documentos históricos. Neles temos alguns dos presidentes do início da chamada República Velha. Observe e estabeleça, pelas semelhanças e diferenças, dois conjuntos de retratos. A diversidade entre esses dois conjuntos revela diferentes períodos políticos. 

Em seguida responda às questões. 
a) O que foi a chamada República da Espada e que forças políticas a sustentaram? 
b) Quais as principais características políticas do segundo período da Primeira República? 
c) Explique as principais características da política de valorização do café.

resposta da questão 23:
a) Primeira etapa de consolidação da República brasileira. Sustenta-se politicamente pelo militarismo positivista, pelo setor cafeicultor agroexportador sobretudo do oeste paulista e pelas classes médias urbanas republicanas.


b) O período em questão é marcado pela chamada política do café com leite, ou seja, o domínio de São Paulo e Minas Gerais sobre a política nacional e cujo apoio de outras oligarquias regionais era negociado por meio da política dos governadores. Dessa forma, regionalmente, os coronéis asseguravam o controle eleitoral utilizando-se de fraudes e mecanismos de coerção como o “voto de 

cabresto”.

c) A política de valorização do café se caracteriza pela “socialização das perdas” por meio da ação estatal. Trata-se de promover a manutenção dos lucros dos cafeicultores diante da crise de superprodução. Como medidas pontuais, podemos destacar o “Convênio de Taubaté” que garante a compra de excedentes de café no mercado e as sucessivas desvalorizações cambiais que preservava os lucros do setor agroexportador diante da queda dos preços.


24. (UFRS 2007) Observe a charge a seguir, publicada na "Revista Ilustrada".

 

Esta charge refere-se aos efeitos da alta da inflação brasileira observados durante o governo de
a) Deodoro da Fonseca.
b) Floriano Peixoto.
c) Prudente de Morais.
d) Rodrigues Alves.
e) Campos Sales.

resposta da questão 24:[C]


25. (UNESP)

 
STORNI, 1927. In: LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto, Letras e Expressões, 2001.)

A ilustração refere-se

a) ao alto grau de abstenção dos eleitores na Primeira República, o que facilitava a ação de políticos ilustrados. 
b) à prática dos grupos oligárquicos, que controlavam de perto o voto de seus dependentes e agregados. 
c) ao elevado índice de analfabetismo no campo, o que favorecia a distribuição de cédulas eleitorais falsas.
d) à alternância no poder federal, graças ao controle dos votos, de políticos populares dos diversos Estados brasileiros.
e) ao controle do governo central sobre os governadores, que se valia do estado de sítio no período eleitoral.



resposta da questão 25:[B]


26. (PUC-MG) Analise com atenção a seguinte charge.

 

Em relação às eleições da República Velha, a alternativa que melhor explica a charge é:

a) Os coronéis eram, muitas vezes, acusados de falsificação das atas eleitorais, de alistamento de defuntos ou de comprar os componentes da mesa eleitoral.
b) Pelo "voto de cabresto", o coronel garantia para seus candidatos o apoio dos que lhe deviam favores, pois o voto não era secreto.
c) Era prática comum, capangas ou jagunços, para servir a seus patrões, matar os adversários políticos, expulsar os indesejáveis ou ameaçar eleitores indecisos.
d) Para votar, o cidadão dirigia-se à mesa eleitoral, composta por indicação, que controlava as listas de presença e votação.
e) A estrutura de poder incluía coronéis, oligarquias estaduais e governo federal, estabelecendo-se no topo dessa pirâmide a "política do café com leite".

resposta da questão 26:[A]

27. (Mackenzie) Durante o governo Campos Sales foi negociado o acordo financeiro "Funding Loan", visando restaurar as finanças da república e que trouxe como efeitos imediatos:
a) o corte de despesas e abandono de obras públicas, desemprego, queda da indústria brasileira e favorecimento das importações.
b) a implantação de uma política industrialista, abandonando-se a crença de um país exclusivamente agrícola, defendida por parte da elite da época.
c) grandes investimentos em obras para vencer o desemprego.
d) um período de grande estabilidade econômica e política em função das boas condições sociais.
e) grande popularidade do governo, sobretudo nas camadas baixas da população, em virtude de sua política social.


resposta da questão 27:[A]

28. (Fatec) "É tempo de tornarmos ao caminho certo. E nos esforçarmos para importar tudo quanto eles possam produzir em melhores condições do que nós".
Declaração de Manuel Ferraz de Campos Sales. ln: MELO L. e César, L. "História do Brasil." São Paulo: Scipione, 1999.

Sobre o governo de Campos Sales é correto afirmar:
a) idealizou o sistema de alianças entre os governadores dos estados e o governo federal, que consistia, basicamente, em uma troca de interesses e favores e que ficou conhecido como política dos governadores.
b) foi organizado o convênio de Taubaté, cuja finalidade era encontrar solução para a crise da superprodução do café.
c) sua intenção era tornar o Brasil um país industrializado, uma vez que a agricultura estava levando o país ao caos econômico.
d) foram iniciadas as reformas urbanas que tinham como objetivo transformar a cidade do Rio de Janeiro na "capital do progresso".
e) eclodiu, na Bahia, um grande movimento de sertanejos, liderados por Antônio Mendes Maciel, que ficou conhecido como Guerra dos Canudos.


resposta da questão 28:[A]

29. (MACKENZIE) "A Política dos Governadores" e "O Coronelismo" foram os principais instrumentos na República Velha, que consolidaram. 
a) O poder das oligarquias, desde o nível municipal até o federal. 
b) A influência das camadas populares no processo político. 
c) Um Congresso Livre, combativo e exercendo forte oposição ao Executivo. 
d) Um governo militarista e fortemente autoritário. 
e) O projeto desenvolvimentista e com prioridade sociais apoiado pela oligarquia do café.

resposta da questão 29:[A]

30. A estrutura representada abaixo reproduz uma relação entre as esferas de poder no Brasil no início do século XX que, em parte, é parecida com os escândalos e conchavos políticos recentes do Congresso brasileiro. Esse esquema representa  a Política dos Governadores. Espécie de troca de favores entre as forças políticas. Portanto, é correto afirmar:


a)  Nesse esquema os governos populares estaduais dominavam o governo federal através da Comissão Verificadora de Poderes. 
b) A principal consequência da Política dos Governadores foi o controle da presidência por parte das oligarquias do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.
c) A Comissão verificadora de Poderes só concedia o direito de candidatura aos políticos da situação em seus estados.
d) A Política dos Governadores subordinou as elites estaduais através do Serviço de Proteção ao Índio.
e) Através da Campanha Civilista, Rui Barbosa dominou a esfera federal e subordinou os governos estaduais.  


resposta da questão 30:[C]



31. (ABC-SP) A política implantada, segundo a qual se estabelecia um sistema de mútuo apoio entre o governo central e os Estados, garantindo assim a permanência e o domínio das oligarquias em todos os níveis, caracteriza. 

a) A "política das salvações", de Nilo Peçanha. 
b) A "campanha civilista", de Prudente de Morais. 
c) A "política dos governadores", de Campos Salles. 
d) A "política dos estados minoritários", de Pinheiro Machado. 
e) A "política tenentista", de Hermes da Fonseca. 


resposta da questão 31:[C]


32. (FMU/FIAM-SP) Quanto à estrutura política da Primeira República, pode-se dizer que. 
a) Era unitarista e fortemente centralizada. 
b) Baseava-se num sistemas unicameral, com judiciário central e dependência dos Estados. 
c) A norma básica da Política dos Governadores era a Comissão de Verificação dos Diplomas dos Candidatos Eleitos, o que garantia o controle das bancadas majoritárias no Congresso. 
d) O período de menor tensão política foi o quadriênio de Artur Bernardes, reconhecido com "Renascimento Bernardista". 
e) Pinheiro Machado foi o único presidente da República originário do Rio Grande do Sul.


resposta da questão 32:[C]

33. (VUNESP 2007) 


(Revista da Semana, dezembro de 1921, São Paulo apud Nicolau 

Sevcenko (org.), História da Vida privada no Brasil, volume 3 – República.)

Identifique o principal tema do desenho e relacione-o com as transformações sociais e econômicas no início do século XX no Brasil.


resposta da questão 33:
Tema dos desenhos: diferenças nas preferências culturais, valores e atitudes entre a “Belle Epoque” e o pós-primeira guerra mundial.
No período citado o Brasil passou por transformações econômicas (expansão da indústria) e sociais (urbanizacão, modernização, crescimento da classe média e inserção  da mulher no mercado de trabalho), as quais produziram alterações culturais e comportamentais.
Obs.: As ilustrações apresentadas referem-se aos estratos médio e superior da sociedade brasileira e refletem antes influências externas (sobretudo em relação à pintura moderna e ao tango) do que mudanças propriamente nacionais. Aliás, a fonte mencionada (Revista da Semana) era uma publicação direcionada para as classes média e alta das grandes cidades brasileiras, naturalmente mais sujeitas a influências cosmopolitas.
Observe-se, a propósito, a grafia afrancesada “mamã” em vez do português “mamãe”.


34. (PITÁGORAS) Todas as alternativas apresentam citações coerentes com o funcionamento político-eleitoral da República Velha, EXCETO


a) “O coronel poderia ter controle direto ou indireto sobre o eleitorado; havia aquele que visitava grande parte de seus eleitores com muita freqüência, assim controlando diretamente seus votos, ou aquele que enviava ‘cabos eleitorais’, que repassavam as ordens do chefe.” 
b) “Eram muito comuns na República Velha os municípios com mais eleitores que habitantes: analfabetos, crianças, defuntos ou eleitores que votavam em vários municípios ou votavam várias vezes num mesmo pleito, num mesmo município.” 
c) “São importantes para a compreensão desse período aspectos como o carisma dos líderes e a identificação que propiciava entre Estado e indivíduos, dando respaldo à manipulação popular.” 
d) “A consolidação do compromisso entre o governo federal e os governadores estaduais facilitou o predomínio dos dois estados mais fortes na época: Minas Gerais e São Paulo. Ambos garantiam o maior número de cadeiras no Congresso.” 
e) “Essas práticas eram facilitadas pelo sistema eleitoral em vigor, no qual o voto era aberto. Para votar, o cidadão dirigia-se à mesa eleitoral, escrevia o nome do seu candidato e assinava ao lado.”


resposta da questão 34: [C]


35. (PUC) Com base nas informações contidas no documento e no seu conhecimento sobre o assunto, ASSINALE a única opção que NÃO apresenta uma característica correta.

 

a) A Constituição de 1891 estabeleceu o voto direto, sendo considerados eleitores os cidadãos brasileiros maiores de 21 anos, excluídos os analfabetos, as mulheres, os praças militares e os membros das ordens religiosas.
b) A instituição do voto secreto e obrigatório contribuía para que a maioria dos eleitores ficasse sujeita à pressão dos chefes políticos.
c) Embora a fraude eleitoral fosse uma prática comum à época, as eleições cumpriam um papel estratégico, abrindo brechas no interior do jogo de poder oligárquico e implicando uma série de procedimentos de negociação entre as elites e o eleitorado.
d) A expressão "eleições a bico de pena" identificava um dos mais graves problemas do sistema eleitoral da Primeira República: a falsificação das atas eleitorais, alterando o número de votantes.
e) No nível municipal, o coronel era o senhor dos chamados "currais eleitorais", arregimentando os eleitores "de cabresto", como o "Zé Burro" da ilustração.



resposta da questão 35:[B]



36. (UEMG-2007) Leia o fragmento a seguir, relativo à história política brasileira. 
“Esse procedimento fez com que as eleições daquela época se tornassem conhecidas como ‘eleições a bico de pena’, pois na ‘feitura das atas, a pena todo-poderosa dos mesários realizava portentosos milagres’. O número de pessoas envolvidas diretamente com as fraudes era alto, e muitas recebiam nomes especiais: os ‘cabalistas’ eram os encarregados de incluir novos nomes nas listas dos votantes, os ‘fósforos’ eram os que assumiam a identidade de eleitores mortos ou ausentes, e os ‘capangas’ ou ‘capoeiras’ eram os que intimidavam o eleitor e, se necessário, faziam uso da força física”. 
(PANDOLFI, Dulce Chaves. Voto e participação política nas diversas repúblicas do Brasil. In: GOMES, Ângela de Castro; 
PANDOLFI, Dulce Chaves e ALBERTI, Verena (coords.). A República no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.) 

O fragmento acima SÓ PODE SER CORRETAMENTE associado com 
a) a eleição dos “homens bons” para o Senado da Câmara colonial. 
b) a prática eleitoral da Primeira República. 
c) o controle eleitoral característico da Era Vargas. 
d) o cerceamento político do regime militar brasileiro. 


resposta da questão 36:[B]



37. (Mack-2007) 
(...) A pergunta “Quem é você?” recebia invariavelmente a resposta: 
“Sou gente do coronel Fulano”. Essa maneira de redarguir dava imediatamente a quem ouvia as coordenadas necessárias para conhecer o lugar socioeconômico do interlocutor, além de sua posição política. 
Maria I. P. de Queiroz - História Geral da Civilização Brasileira 

O fenômeno sociopolítico, a que se alude no fragmento acima e que alcançou seu maior vigor nas primeiras décadas do Brasil republicano, pode ser entendido como 
a) a expressão do poder político dos empresários industriais, que, embora formassem uma classe numericamente pequena, experimentavam desde o Império um significativo crescimento de sua importância econômica. 
b) o resultado da militarização das instituições políticas brasileiras em virtude de a liderança do movimento republicano ter sido exercida por militares, como Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. 
c) uma reação dos líderes políticos nos Estados à instituição do voto secreto pela Constituição de 1891, inovação que reduziu drasticamente o poder dos grandes proprietários rurais. 
d) uma forma de clientelismo em que chefes políticos locais (geralmente proprietários rurais), dominando grupos de eleitores e lançando mão sistematicamente da fraude eleitoral, sustentavam o poder das oligarquias no plano estadual e, indiretamente, no federal. 
e) a conseqüência da ascensão social — por meio das escolas militares — de membros das classes médias urbanas, formando uma oficialidade coesa de tenentes, capitães, majores e coronéis. 


resposta da questão 38:[D]




39. (Mack-2007) As moças ricas não podem compreender o casamento senão com o doutor; e as pobres, quando alcançam um matrimônio dessa natureza, enchem de orgulho a família toda, os colaterais e os afins. Não é raro ouvir alguém dizer com todo o orgulho: 
— Minha prima está casada com o doutor Bacabau. (...) O título — doutor — anteposto ao nome tem na Bruzundanga o efeito do — dom — em terra de Espanha. Mesmo no Exército, ele soa em todo o seu prestígio nobiliárquico. Quando se está em face de um coronel com o curso de engenharia, o modo de tratá-lo é matéria para atrapalhações protocolares. Se só se o chama tout court — doutor Kamisão — ele ficará zangado porque é coronel; se se o designa unicamente por coronel, ele julgará que o seu interlocutor não tem em grande consideração o seu título universitário-militar. 
Lima Barreto - Os bruzundangas 

A sátira que o escritor carioca traçou a partir da descrição da “República dos Estados Unidos da Bruzundanga” se refere, no trecho acima, a um fenômeno próprio da sociedade brasileira da época. 

Trata-se do 
a) bacharelismo. 
b) coronelismo. 
c) parnasianismo. 
d) arrivismo. 
e) militarismo.

resposta da questão 39:[A]
Comentário da questão:
Por “bacharelismo” entendia-se a valorização da profissão de advogado, da qual provinha a absoluta maioria dos políticos republicanos. Note-se, porém, que o título de “doutor” aplicava-se, na época, não somente aos advogados, mas também aos médicos e engenheiros (como o próprio texto transcrito evidencia), os quais não tinham o título de “bacharel”.

40. (PUC-MG-2007) Segundo o historiador Jose Murilo de Carvalho, o povo acompanhou bestializado a criação do regime republicano no Brasil. Essa afirmação pode explicar nossa Proclamação da República no Brasil como: 
a) adoção das teses sobre a ordem e o progresso, inspiradas na revolução norte-americana do século XVIII. 
b) uma ruptura com os valores liberais, instituídos pelo ideário dos membros do clube militar do Rio de Janeiro. 
c) um golpe militar ou quartelada, que instaurou novo modelo político nos moldes que tivemos mais tarde em 1964. 
d) estabelecimento de uma nova ordem social, que promovia a igualdade social com base na organização do trabalho. 

resposta da questão 40:[C]


41. (CESCEM-SP) "Além de organizar a chamada Política do Governadores e de negociar o acordo denominado "Funding Loan" com banqueiros estrangeiros, o Presidente, com o auxílio do ministro Joaquim Duarte Murtinho, adotou medidas de compressão de despesas." 

O texto acima refere-se ao presidente. 
a) Prudente de Morais. 
b) Campos Salles. 
c) Rodrigues Alves. 
d) Afonso Pena. 
e) Hermes da Fonseca. 


resposta da questão 41:[B]


42. (Mackenzie) Durante o governo Campos Sales foi negociado o acordo financeiro "Funding Loan", visando restaurar as finanças da república e que trouxe como efeitos imediatos:
a) o corte de despesas e abandono de obras públicas, desemprego, queda da indústria brasileira e favorecimento das importações.
b) a implantação de uma política industrialista, abandonando-se a crença de um país exclusivamente agrícola, defendida por parte da elite da época.
c) grandes investimentos em obras para vencer o desemprego.
d) um período de grande estabilidade econômica e política em função das boas condições sociais.
e) grande popularidade do governo, sobretudo nas camadas baixas da população, em virtude de sua política social.


resposta da questão 42:[A]


43. (Fatec) "É tempo de tornarmos ao caminho certo. E nos esforçarmos para importar tudo quanto eles possam produzir em melhores condições do que nós".
Declaração de Manuel Ferraz de Campos Sales. ln: MELO L. e César, L. "História do Brasil." São Paulo: Scipione, 1999.

Sobre o governo de Campos Sales é correto afirmar:
a) idealizou o sistema de alianças entre os governadores dos estados e o governo federal, que consistia, basicamente, em uma troca de interesses e favores e que ficou conhecido como política dos governadores.
b) foi organizado o convênio de Taubaté, cuja finalidade era encontrar solução para a crise da superprodução do café.
c) sua intenção era tornar o Brasil um país industrializado, uma vez que a agricultura estava levando o país ao caos econômico.
d) foram iniciadas as reformas urbanas que tinham como objetivo transformar a cidade do Rio de Janeiro na "capital do progresso".
e) eclodiu, na Bahia, um grande movimento de sertanejos, liderados por Antônio Mendes Maciel, que ficou conhecido como Guerra dos Canudos.


resposta da questão 43:[A]

44. (VUNESP 2006) Observe a charge.


Ela — É o Zé Besta? 
Ele — Não, é o Zé Burro! 


A ilustração refere-se 
a) ao alto grau de abstenção dos eleitores na Primeira República, o que facilitava a ação de políticos ilustrados. 
b) à prática dos grupos oligárquicos, que controlavam de perto o voto de seus dependentes e agregados. 
c) ao elevado índice de analfabetismo no campo, o que favorecia a distribuição de cédulas eleitorais falsas.
d) à alternância no poder federal, graças ao controle dos votos, de políticos populares dos diversos Estados brasileiros. 
e) ao controle do governo central sobre os governadores, que se valia do estado de sítio no período eleitoral. 


resposta da questão 44:[B]


45. (OSEC-SP) A Primeira Guerra Mundial pode ser considerada fator de aceleração do processo econômico porque. 
a) Dificultou as importações, originando a "indústria de substituição". 
b) Desenvolveu no Brasil uma indústria bélica para abastecer os aliados. 
c) Desenvolveu no Brasil uma indústria de base, com intuito de fornecer máquinas para os 
países aliados. 
d) Aumentou as relações comerciais com os países do eixo. 
e) Provocou o desenvolvimento agropecuário do nordeste para abastecer aliados. 


resposta da questão 45:[A]


46. (Vunesp-2005) As grandes noites do teatro Amazonas chegavam ao fim. […] Manaus despediu-se definitivamente do antigo esplendor no carnaval de 1915. No mesmo ano, o preço da borracha caiu verticalmente. Em 1916 já não houve carnaval. […]. [Manaus e Belém] começaram a entrar num marasmo típico dos centros urbanos que viveram um luxo artificial. 
(Márcio Souza, A Belle-Époque amazônica chega ao fim.) 

Considerando o texto, responda. 
a) Por que “o preço da borracha caiu verticalmente” a partir de 1915? 
b) Por que a crise da economia da borracha produziu estagnação econômica na região amazônica, enquanto no sul do país a crise da economia cafeeira não levou a semelhante marasmo econômico? 
Apresente uma razão desta diferença. 


resposta da questão 46:

a) A abrupta queda de preços da borracha deveu-se à avassaladora entrada no mercado internacional do produto originário das plantações racionais do Sudeste Asiático, que foi quase dez vezes maior que a produção brasileira, entre 1915 e 1919. 

b) O café pôde superar a crise da virada do século e conseguir uma sobrevida até 1929 porque, por um lado, possuía a vantajosa condição de predomínio no mercado internacional; por outro, os cafeicultores do Sudeste tinham poder político para influir no governo federal e dele conseguir apoio (caso da Política de Valorização do café estabelecida pelo Convênio de Taubaté em 1906). A economia do látex não dispunha de facilidades como essas. Além disso, os vários planos elaborados para salvá-la jamais foram postos em prática. 



47. (Faap) Até o começo do século XX, pertence à Bolívia. Com o ciclo da borracha (1827-1915), os brasileiros tornam-se a maioria da população e, em 1899, quando os bolivianos começam a recolher impostos, eles se revoltam. Os conflitos terminam com a assinatura do Tratado de Petrópolis (17/11/1903): o Brasil recebe a posse definitiva do território em troca de áreas no Mato Grosso, do pagamento de 2 milhões de libras esterlinas e do compromisso de construir a estrada de ferro Madeira-Mamoré para o escoamento de produtos bolivianos. Integrado ao Brasil como território, é elevado à condição de Estado em 15/6/1962, durante o governo João Goulart.

O Estado da Federação de que fala o texto é:
a) Acre
b) Amapá
c) Amazonas
d) Bahia
e) Alagoas


resposta da questão 47:[A]

48. (Unesp) O presidente da Bolívia, Evo Morales, acusou, no mês de maio de 2006, o Estado brasileiro de ter adquirido o Acre em troca de "um cavalo". A área foi incorporada ao Brasil em 1903 com o Tratado de Petrópolis. Em que circunstâncias se deu esta incorporação e que significado econômico tinha a região naquele momento?


resposta da questão 48:
O Acre foi incorporado ao Brasil pelo Tratado de Petrópolis, assinado em 1903, sendo que o país foi representado pelo Barão do Rio Branco. Pelo tratado o Brasil pagaria a Bolívia uma indenização de 110.000 libras esterlinas, cederia parte do Mato Grosso e construiria a ferrovia Madeira-Mamoré. O Barão ainda conseguiu convencer a Bolivian Syndicate a renunciar seus direitos sobre o Acre. A importância da região se deve à produção de látex - matéria-prima utilizada na fabricação da borracha - produto fundamental a partir da Segunda Revolução Industrial -  e desde o final do século XIX ainda pertencente à Bolívia, foi incorporado por milhares de seringueiros recrutados como mão de obra barata entre as populações do Nordeste.



49.  (Puc-rio) Leia o texto abaixo, no qual Lima Barreto refere-se às reformas realizadas no Rio de Janeiro - capital da nascente República - durante as gestões do Presidente Rodrigues Alves (1902-1906) e do prefeito do Distrito Federal Pereira Passos.

"De uma hora para outra, a antiga cidade do Rio de Janeiro desapareceu e outra surgiu como se fosse obtida por uma mutação de teatro. Havia mesmo na coisa muito de cenografia."

a) Indique 2 (duas) transformações marcantes na paisagem da Capital Federal, decorrentes das reformas a que foi submetida, que confirmem a afirmativa do autor.
b) Considerando o lugar ocupado pelo Brasil na dinâmica das relações capitalistas internacionais no início do século XX, explique 1 (um) objetivo da reforma urbana empreendida pelos dirigentes republicanos.


resposta da questão 49:


a) O candidato poderá indicar, por exemplo:
- A abertura da Avenida Central, atual Rio Branco;
- A construção do Teatro Municipal;
- O alargamento de diversas ruas;
- A abertura da Avenida Beira Mar;
- O desmonte parcial do Morro do Castelo;
- A modernização do porto da cidade;
- A derrubada de inúmeros cortiços no centro da cidade e imediações;
- O surgimento de favelas nas encostas de morros;
- A aceleração da ocupação dos subúrbios, principalmente, aqueles cortados pelas linhas férreas.

b) Os dirigentes republicanos objetivavam reiterar uma determinada concepção de progresso e civilização, norteando a reforma urbana por um modelo inspirado em cidades, como Paris e Londres. Associando-se o passado ao atraso, fazia-se necessário botar abaixo os elementos do traçado urbano característico do passado colonial e dotar a capital de uma fisionomia européia, que a assemelhasse, por exemplo, à cidade de Paris, reformada durante a gestão do Barão de Hausmann. Assim, pretendia-se criar uma imagem que contribuísse para um maior afluxo de capitais e para o incremento das trocas comerciais, vitais a uma economia dependente como a brasileira.

50. (UNICAMP-2004) Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos, das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão do território nacional. 

(Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266). 

a) Qual foi a importância da greve de 1917 em São Paulo? 
b) A partir do texto, identifique as formas de repressão adotadas pelo governo de São Paulo contra a greve de 1917. 
c) Qual o papel da imprensa operária nas primeiras décadas do século XX no Brasil? 

resposta da questão 50:

a) Foi a mais importante ação do movimento operário durante a República Velha; seguiu a orientação anarcossindicalista e obteve um aumento real de salários. 

b) Prisão das lideranças operárias, paralisação da imprensa libertária e deportação de estrangeiros envolvidos na greve (únicas formas de repressão explicitadas pelo texto). 

c) Conscientizar o proletariado acerca de sua condição e incitá-lo à luta de classes. 



51. (Uerj) Em 2003, fez um século que, sob a direção de Pereira Passos, uma grande reforma urbana teve início na cidade do Rio de Janeiro. As charges, com seus respectivos textos, indicam aspectos marcantes dessas reformas.

 
Figura I "O inquilino: - Mas, então, eu pago-lhe o aluguel pontualmente e o senhor consente que me ponham os troços na rua?!
O senhorio: - Meu amigo, tenha paciência: São cousas da Prefeitura! Trate de ver outra casa...
O inquilino: - Aonde? Pois o senhor não vê que não há? Que só há palácios de mármore e granito? Igrejinhas para música e pagodes e o raio que os parta?
O senhorio: - Que quer que lhe faça! O governo quer embasbacar a estranja, mostrando-lhe uma taboleta supimpa!
O inquilino: - Taboleta de Casa de Orates, de Hospício de Malucos! Estas cousas nunca se fazem assim! Primeiro acomodam-se os pobres! Aqui, dá-se-lhes um pontapé! Muito bonito, isto, hein?
O senhorio: - Que quer que lhe faça?"

Figura II O médico: - Esta injeçãozinha é precisa para poder vestir a sua toilette nova.

(Adaptado de BRENNA, Giovanna Rosso Del (org.). "O Rio de Janeiro de Pereira Passos". Rio de Janeiro: Index, 1985.)

Analisando as charges, aponte um objetivo da Reforma Pereira Passos e uma das conseqüências dessa reforma para as camadas populares.

resposta da questão 51:


 Um dentre os objetivos:
-  transformar a cidade do Rio de Janeiro numa capital europeia
-  implantar novos padrões de vida relacionados ao modelo europeu de civilização
-  destruir as casas coloniais e os cortiços considerados nocivos à imagem de uma cidade moderna

Uma dentre as consequências:
-  transferência da população do centro para os subúrbios e a ocupação das encostas da cidade
-  destruição das moradias populares provocando a expulsão das populações pobres do centro da cidade

52. (Ueg)
 
Sobre o contexto que envolve a Revolta da Vacina, importante evento social urbano ocorrido na cidade do Rio de Janeiro em 1904, é INCORRETO afirmar que a charge
a) descreve a maneira prepotente e hostil com que os primeiros governos republicanos trataram as classes populares; esse tratamento evidencia-se também nas revoltas de Canudos e Contestado.
b) contém uma crítica ao autoritarismo da campanha de vacinação contra a varíola, vista pelos segmentos populares como desrespeitosa à honra das mulheres.
c) expressa a desconfiança em relação à ciência médica e à desinformação de parte da população. Até intelectuais importantes, como Rui Barbosa, consideraram uma temeridade injetar um vírus na corrente sanguínea.
d) demonstra a insatisfação das camadas urbanas em relação à carestia, ao desemprego e à falta de democracia da República Velha.
e) apresenta o reconhecimento das classes populares do Rio de Janeiro pela forma como foi desenvolvida a campanha de vacinação liderada por Oswaldo Cruz.

resposta da questão 52:[E]

53. (Puc-rio) 
Anda o povo acelerado Com horror à palmatória 
Por causa dessa lambança da vacina obrigatória 
(...) Eu não vou nesse arrastão 
Sem fazer o meu barulho 
Os doutores da Ciência 
Terão mesmo que ir no embrulho 
Não embarco na canoa 
Que a vacina me persegue 
Vão meter ferro no boi 
Ou no diabo que os carregue
("A Vacina Obrigatória". In "Memória da Pharmácia", disco Odeon)

Os versos apresentados se referem ao episódio conhecido como a Revolta da Vacina (Rio de Janeiro, 1904).

Sobre este acontecimento, assinale a única afirmativa CORRETA.
a) O desconhecimento popular sobre os efeitos da vacina antivariólica, somado à imposição ilegal de sua obrigatoriedade, estimulou a insubordinação de vários grupos sociais, como militares e agentes sanitários.
b) A revolta popular correspondeu a uma reação à lei de vacinação obrigatória contra a varíola, decretada pelo governo federal nos quadros da reforma urbana e sanitária, que então ocorria na capital da República, a cidade do Rio de Janeiro.
c) A população carioca rebelou-se contra o médico responsável pela campanha sanitarista, Dr. Oswaldo Cruz, que realizou, além da vacinação obrigatória, a destruição de domicílios populares considerados insalubres - os cortiços.
d) Grupos monarquistas contrários à modernização instaurada pelo governo republicano, na qual se incluíam ações de saneamento da capital federal, iniciaram uma revolta militar, recebendo o apoio de segmentos populares.
e) A abertura da Avenida Central, hoje Avenida Rio Branco, ocasionou a demolição de diversas moradias populares, estimulando saques e motins e uma revolta de trabalhadores urbanos que almejava derrubar o governo republicano.


resposta da questão 53:[B]

54. (Unicamp 2008) "Com 800 mil habitantes, o Rio de Janeiro era uma cidade perigosa. Espreitando a vida dos cariocas estavam diversos tipos de doenças, bem como autoridades capazes de promover sem qualquer cerimônia uma invasão de privacidade. A capital da jovem República era uma vergonha para a nação. As políticas de saneamento de Oswaldo Cruz mexeram com a vida de todo mundo. Sobretudo dos pobres. A lei que tornou obrigatória a vacinação foi aprovada pelo governo em 31 de outubro de 1904; sua regulamentação exigia comprovantes de vacinação para matrículas em escolas, empregos, viagens, hospedagens e casamentos. A reação popular, conhecida como Revolta da Vacina, se distinguiu pelo trágico desencontro de boas intenções: as de Oswaldo Cruz e as da população. Mas em nenhum momento podemos acusar o povo de falta de clareza sobre o que acontecia à sua volta. Ele tinha noção clara dos limites da ação do Estado."
(Adaptado de José Murilo de Carvalho, "Abaixo a vacina!". "Revista Nossa História", ano 2, n- 13, novembro de 2004, p. 74.)

A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos, responda às questões a seguir:
a) De que maneira as medidas sanitárias, no Rio de Janeiro do início do século XX, "mexeram com a vida de todo mundo, sobretudo dos pobres"?
b) Indique dois fatores que restringiam a participação política dos trabalhadores na Primeira República.


resposta da questão 54:

a) As medidas decorrentes das políticas de saneamento propostas por Osvaldo Cruz para a cidade do Rio de Janeiro durante a administração do presidente Rodrigues Alves (1902-1906), afetaram a vida das camadas mais pobres, quando se promoveu a mobilização da  população na caça de ratos que seriam comprados pelo governo e quando os agentes sanitários, para desinfetar ruas e cortiços, tiveram que adentrar às casas, com poderes de interditar moradias e até mesmo determinar sua demolição. A obrigatoriedade da vacina, pode ser considerada o auge das interferências sobre a vida da populção, o que justifica, juntamente com as demais, a violenta reação expressa na Revolta da Vacina.

b) A restrição do direito de voto aos homens alfabetizados, o que reduzia consideravelmente número de eleitores e o voto aberto assegurava aos coronéis o controle do eleitorado em seus domínios, configurando-se o "voto de cabresto" e o "curral eleitoral", indicam fatores de restrição política às classes populares.
Pode-se acrescentar ainda, a violência policial usada pelo governo contra as formas de representação dos trabalhadores urbanos (sindicatos, jornais, agremiações) e a seus líderes, implicando em dificuldades para a organização das classes trabalhadoras.


55. (Uerj) A questão da qualidade de vida já aparecia, no início do século XX, na reforma urbana realizada pelo prefeito Pereira Passos na cidade do Rio de Janeiro. Identifique a opção que revela características dessa reforma.
a) Possibilitou que os grupos monarquistas fizessem da capital uma cidade-corte, privilegiando o embelezamento em detrimento da utilidade econômica e política da cidade do Rio de Janeiro.
b) Imitou as reformas de Paris realizadas pelo Barão Haussmann em 1850, trazendo para o Rio de Janeiro um modo de vida europeu. Entretanto, os vestígios da arquitetura colonial permaneceram no centro da cidade devido à força política dos proprietários dos cortiços.
c) Associou beleza e saneamento ao considerar que, em uma cidade moderna, além de se construírem avenidas e jardins, devia-se cuidar, também, das instalações de água e esgoto, eliminando-se os odores fétidos e combatendo-se a falta de asseio de seus habitantes.
d) Transformou a cidade-capital em cidade moderna, o que representou o avanço brasileiro em direção ao modelo europeu. Pereira Passos manteve o centro como cidade portuguesa e atuou, apenas, nas áreas periféricas.
e) Atendeu às reivindicações de engenheiros e médicos que queriam uma cidade limpa, saneada, com características exclusivamente brasileiras e sem nenhuma semelhança com Paris.


resposta da questão 55:[C]


56. (UFBA-2005) Os Movimentos Sociais constituíram um fenômeno presente em todos os momentos da história da humanidade. Alguns desses movimentos influíram na Legislação, no Direito e na distribuição do Poder. Responda a essas questões a partir da leitura do texto a seguir. 
O que se chama movimento social, nada mais é do que o aparecimento, no reino dos acontecimentos, das forças sociais, umas submersas nas categorias da prática social e as outras freqüentemente presas no silêncio e no proibido. 
Não é fácil para a História e para o sociólogo restituir a palavra dos que nunca a tiveram, dos que não gravaram inscrições, lembranças e manuscritos, daqueles cujos arautos foram enforcados, crucificados ou consumidos por privações sem que nenhum memorialista o relate. Daí o interesse dos mergulhos, hoje possíveis, na história dos colonizados, de suas recusas, de suas revoltas, de seus sonhos. O movimento social se define pelo confronto de interesses opostos para controlar forças de desenvolvimento e do campo de experiência histórica de uma sociedade. Não é possível falar de um movimento social se não se pode, ao mesmo tempo, definir o contramovimento ao qual ele se opõe. O movimento operário só é um movimento social se, além das reivindicações contra as crises da organização social e das pressões para a negociação, ele coloca em causa a dominação da classe dirigente. 
(TOURAINE. In: FORACCHI ; MARTINS, 1980, p. 344- 345; 356). 
De acordo com o texto, os movimentos grevistas de operários de indústrias, ocorridos no Brasil, na segunda década do século XX, podem ser caracterizados como movimentos sociais. 
Apresente duas razões que justifiquem essa afirmação. 


resposta da questão 56:


1. Reivindicavam a diminuição da jornada de trabalho, ou seja, queriam uma legislação trabalhista que garantisse a melhoria das condições de trabalho. 

2. Contestavam a ordem política através da expansão de ideologias defensoras do proletariado, a exemplo do anarcosindicalismo e do socialismo. 
3. Propiciaram condições para a organização do Partido Comunista. 

57. (IFMG) O Convênio de Taubaté (1906), firmado entre os governadores de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, tinha como objetivo
a) promover investimentos baseados em capitais externos no País, por meio do controle cambial.
b) estimular o desenvolvimento da indústria de bens de consumo não duráveis na região Sudeste.
c) criar mecanismos políticos eficazes para a intervenção do Estado no mercado de produção cafeeira.
d) diversificar a produção agrícola brasileira para o atendimento aos pequenos produtores rurais.


resposta da questão 57:[C]

58. (UFF) Durante a Primeira República, a liderança do movimento operário no Rio de Janeiro e em São Paulo foi disputada por diversas correntes políticas. Dentre essas correntes pode-se identificar :
a) o socialismo utópico e o PTB
b) o trabalhismo e o PT
c) o anarco-sindicalismo e o socialismo
d) o queremismo e o anarco-sindicalismo
e) o Partido Comunista Brasileiro e o PTB


resposta da questão 58:[C]


59. (UFSCar-2002) Alguns autores calculam que pelo menos meio milhão de nordestinos sucumbiram às epidemias, ao impaludismo, à tuberculose ou ao beribéri (...) Sem nenhuma reserva de vitaminas, os camponeses das terras secas realizavam a longa viagem para a selva úmida. (...) Iam amontoados nos porões dos barcos, em tais condições que muitos sucumbiam antes de chegar. (...) 
Em 1878, dos oitocentos mil habitantes do Ceará, 120 mil marchavam (...), porém menos da metade pôde chegar; os restantes foram caindo, abatidos pela fome ou pela doença (...). 

 GALEANO, Eduardo. Veias abertas da América Latina. 6a. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 100. 

O deslocamento populacional descrito insere-se no 
contexto histórico 

a) do movimento messiânico de Canudos. 
b) do desenvolvimento das fazendas de gado no rio São Francisco. 
c) da migração nordestina para as cidades grandes da região sudeste. 
d) da ocupação econômica do Mato Grosso. 
e) da exploração da borracha na Amazônia. 

resposta da questão 59:[E]


60. (Unitau) "...o maior líder sertanejo do Brasil e comandante do maior e mais importante movimento camponês de luta pela posse da terra e de resistência à opressão dos latifundiários da história brasileira."

A frase acima refere-se a:
a) Manoel Vinagre, líder da Cabanagem.
b) Francisco Sabino Alvares da Rocha Vieira, líder da Sabinada.
c) Raimundo Gomes, líder da Balaiada.
d) Antonio Conselheiro, líder de Canudos.
e) Luis Carlos Prestes, líder Tenentista.


resposta da questão 60:[D]



61. (Ufg) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente, significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que a
a) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das comunidades sertanejas.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral e o fabrico do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
d) frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural suscitada por Canudos.
e) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.


resposta da questão 61:[D]

62. (UFC) "Na manhã do dia seis Canudos foi destruída Com bombardeios e incêndios Não ficou nada com vida Dizem que o Conselheiro Tinha morrido primeiro na Belo Monte querida"
(FRANÇA, Antônio Queiroz de e RINARÉ, Rouxinol do. "Antonio Conselheiro e a Guerra de Canudos." Fortaleza, Tupynanquim, 2002, p 32.)

Em relação aos movimentos como o de Canudos é correto afirmar que:
a) foram movimentos que se limitaram às regiões Norte e Nordeste do Brasil, marcadas pela presença dos latifúndios.
b) foram movimentos sem grande repercussão, visto que se situavam no campo e a maior parte dos trabalhadores do país encontrava-se nas cidades.
c) no campo o domínio dos coronéis era absoluto, e esses movimentos sociais tiveram que se disfarçar como um movimento de conteúdo religioso, para evitar a repressão.
d) foram movimentos nos quais se combinavam conteúdos religioso e social, pois questionavam o poder das autoridades civis e religiosas.
e) foram movimentos de conteúdo exclusivamente religioso, marcados pelo fanatismo, reprimidos por Pedro II e pelos republicanos que se esforçavam para construir um país civilizado.


resposta da questão 62:[D]


63. (FUVEST-2008) “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até ao esgotamento completo. 
[...] Caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados.” 
Euclides da Cunha, Os Sertões. 

Relacione o movimento de Canudos com 
a) os problemas econômico-sociais da região. 
b) a crença religiosa e a luta política da população. 


resposta da questão 63:
a) A população de Canudos era formada por trabalhadores rurais que tentavam fugir das condições de miséria e exclusão provocadas pela estrutura socioeconômica imposta pelo latifúndio. Com isso, o arraial tornou-se uma ameaça aos interesses dos grandes proprietários rurais da região.

b) No plano religioso, a crença dos sertanejos era essencialmente católica, influenciada pelo fanatismo resultante do misticismo, do messianismo e do sebastianismo. No plano político, o movimento, dados seus aspectos anti-republicanos, foi tachado pelas autoridades como sendo monarquista.



64. (PUC-SP-2000) Sobre o movimento operário no Brasil: 

“No dia 4 de maio [de 1919] o Conselho-Geral dos Operários, constituído de representantes de todas as fábricas da cidade, formulou uma lista de reivindicações na sede da União Operária do Brás. Estava em primeiro lugar o dia de oito horas. Os trabalhadores novamente pediram a proibição do trabalho de menores de 14 anos e do trabalho noturno das mulheres.” 
 Dulles, John W. F. Anarquistas e Comunistas no Brasil (1900-1935).RJ: Nova Fronteira, 1973. 

Analise as afirmações a seguir: 

I. a presença de imigrantes entre os trabalhadores das fábricas, nos principais centros industriais do Brasil, contribuiu para a ideologização do movimento operário. 
II. o movimento operário brasileiro, no início do século, não pôde valer-se da imprensa como instrumento de divulgação de suas motivações, dada a predominância de analfabetos entre os trabalhadores. 
III. a especificidade das relações de trabalho no Brasil, nas primeiras décadas desse século, colocava as reivindicações do operariado brasileiro em completa disparidade, em relação ao movimento operário internacional. 
IV. o anarquismo foi ideologia rejeitada pelos trabalhadores brasileiros, desde suas primeiras iniciativas de organização, ao contrário do que ocorreu na Europa. 
V. os acontecimentos revolucionários na Rússia tiveram repercussões consideráveis na organização operária no Brasil, especialmente entre os anos de 1917-20. 

As afirmações corretas são 
a) II e IV 
b) III e V 
c) I e V 
d) II e III 
e) I e IV


resposta da questão 64:[C] 

65. (UFSCar-2001) A industrialização brasileira foi um processo que, no século XX, atravessou momentos favoráveis e desfavoráveis a seu desenvolvimento. 
a) Explicite os vínculos entre a economia cafeeira na Primeira República, a Primeira Guerra Mundial e a industrialização ocorrida no período. 

b) Cite algumas medidas adotadas por Getúlio Vargas, nos anos quarenta, e por Juscelino Kubitschek, nos anos cinqüenta, favoráveis ao desenvolvimento industrial.


resposta da questão 65:
a) Durante a República Velha (1889-1930), a economia cafeeira gerou capital disponível para a expansão do setor industrial da região Sudeste. A grande empresa exportadora de café determinou 
a acumulação de capitais, a formação do mercado consumidor, o fornecimento da mão-de-obra de imigrantes para as fábricas e a criação de uma rede ferroviária que permitia a integração desse mercado. Com a Primeira Guerra Mundial (1914-18) a Europa passava por uma grave crise econômica. O Brasil tinha grande dificuldade para importar manufaturados das fábricas inglesas, o que estimulou a criação de milhares de indústrias de substituição de importações, especialmente em São Paulo e sobretudo têxteis e alimentícias. 

b) Na década de 1940, Getúlio Vargas impulsionou a implantação de um parque industrial, principalmente no setor da indústria de base. Destacando-se o papel do Estado. A entrada dos norte-americanos na Segunda Guerra Mundial, em troca apoio logístico, os Estados Unidos financiaram a Companhia Siderúrgica Nacional. Na segunda metade da década de 1950, Juscelino Kubitschek (JK) adotou uma política econômica conhecida como nacional-desenvolvimentista. O termo “nacional”, entretanto, referia-se ao projeto de fazer do Brasil uma grande nação, pois JK incentivou a entrada do capital estrangeiro e das multinacionais. O setor industrial foi muito favorecido pelo Plano de Metas, praticamente duplicando sua produção nos cinco anos de governo. 


66. (Fuvest-2003) “Domesticada politicamente, reduzido seu peso político pela consolidação do sistema oligárquico, à cidade pôde ser dado o papel de cartão postal da República. Entrou-se cheio no espírito francês da belle époque, que teve seu auge na primeira década do século 
[...]. Mais que nunca, o mundo literário voltou-se para Paris, os poetas sonhavam viver em Paris e, sobretudo, morrer em Paris. Com poucas exceções, como o mulato Lima Barreto e o caboclo Euclides da Cunha, os literatos se dedicaram a produzir para o sorriso da elite carioca, com as antenas estéticas voltadas para a Europa”. 
José Murilo de Carvalho, Os bestializados. 

Levando em conta o texto: 
a) Caracterize o significado da Capital Federal (RJ) nas primeiras décadas da República. 
b) Por que Lima Barreto e Euclides da Cunha foram considerados exceções pelo autor? 


resposta da questão 66:

a) Conforme o texto, a cidade do Rio de Janeiro teria perdido algo de sua identidade, de sua combatividade, para ficar "domesticada" pela atuação das oligarquias que comandavam o país. O Rio de Janeiro, no final do século XIX e início do século XX, juntamente com o porto de Santos, em São Paulo, era lugar de contato com o mundo exterior, especialmente a Europa – o lugar por onde escoavam os produtos primários aqui produzidos e por onde chegavam as novidades tecnológicas, culturais e estéticas. Nestes termos, o Rio de Janeiro constituía-se como o centro difusor da "moda" que ditava as preferências, os gostos. No plano estético era marcante a influência francesa. 

b) Lima Barreto e Euclides da Cunha foram considerados exceções pelo fato de que cada um, à sua maneira, esteve preocupado com questões relativas à definição da identidade brasileira. A literatura de Lima Barreto chama a atenção para cenários urbanos, para as tensões e conflitos decorrentes da formação de uma sociedade caracteristicamente mestiça. A literatura de Euclides da Cunha por sua vez chama a atenção para os imensos espaços desconhecidos do interior do Brasil – o norte Amazônico, o Sertão nordestino – suas características físicas, humanas e suas formas peculiares de sociabilidade. 


67. (Outros) "Conhecido como o navegante negro; Tinha a dignidade de um mestre-sala;..." O fragmento acima é da música de João Bosco e Aldir Blanc, "O mestre-sala dos mares", numa homenagem ao "Almirante Negro" que liderou a revolta dos marinheiros em 1910 contra os castigos físicos e a discriminação por parte dos oficiais.

O líder e a revolta a que se refere o texto, são, respectivamente:
a) João Cândido e a Revolta da Chibata;
b) Osvaldo Cruz e a Revolta da Vacina;
c) o beato José Maria e a Revolta do Contestado;
d) Lampião e a Revolta de Juazeiro;
e) Giuseppe Garibaldi e as greves operárias de São Paulo.


resposta da questão 67:[A]



68. (Uel) Durante a Primeira República (1889-1930), ocorreram várias revoltas populares contra a situação de opressão e miséria e que colocavam em xeque os interesses da oligarquia agrária.

 
O mapa refere-se a uma dessas revoltas, conhecida por
a) Guerra dos Canudos, entre 1893 e 1897.
b) Revolta da Vacina, em 1904.
c) Revolta da Chibata, em 1910.
d) Guerra do Contestado, entre 1912 e 1916.
e) Coluna Prestes, em 1926.

resposta da questão 68:[D]

69. (Fuvest) "Voto de cabresto", "curral eleitoral", "eleição a bico de pena", "juiz nosso", "delegado nosso", "capangas" e "apadrinhamento" são expressões que lembram em nosso país o:
a) liberalismo.
b) totalitarismo.
c) messianismo.
d) coronelismo.
e) comunismo.


resposta da questão 69:[D]


70. (Uerj 2003)
 
(STORNI, 1927. In: LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto, Letras e Expressões, 2001.)

A dominação dos grandes proprietários rurais durante a República Velha deu origem à expressão popular "voto de cabresto", mecanismo eleitoral que resulta de:
a) influência política das oligarquias regionais
b) adaptação do campesinato à realidade do mundo urbano
c) inconformismo do eleitor nas pequenas cidades do interior
d) submissão dos trabalhadores rurais aos valores soberanos das cidades

resposta da questão 70:[A]

71. (Ufpel) Analise o documento sobre as eleições no Brasil.
 
A charge critica o sistema eleitoral no período da (o)
a) República Velha, quando o voto era aberto e não havia Justiça Eleitoral.
b) Estado Novo, quando o autoritarismo de Vargas manipulou o eleitorado.
c) Segunda República, quando as eleições diretas para presidente, através do voto "a cabresto", elegeram Vargas.
d) República do Café-com-Leite, dominada pelas oligarquias paulista e mineira, que usavam o voto censitário para se alternarem no poder.
e) Primeira República, quando o PSD e a UDN se valiam da violência e fraudes para alcançar o poder.

resposta da questão 71:[A]



72. (Enem 2011) Completamente analfabeto, ou quase, sem assistência médica, não lendo jornais, nem revistas, nas quais se limita a ver figuras,o trabalhador rural, a não ser em casos esporádicos, tem o patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele luta com o “coronel” e pelo “coronel”. Aí estão os votos de cabresto, que resultam, em grande parte, da nossa organização econômica rural.

LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978 (adaptado).

O coronelismo, fenômeno político da Primeira República (1889-1930), tinha como uma de suas principais características o controle do voto, o que limitava, portanto, o exercício da cidadania. Nesse período, esta prática estava vinculada a uma estrutura social

a) igualitária, com um nível satisfatório de distribuição da renda.
b) estagnada, com uma relativa harmonia entre as classes.
c) tradicional, com a manutenção da escravidão nos engenhos como forma produtiva típica.
d) ditatorial, perturbada por um constante clima de opressão mantido pelo exército e polícia.
e) agrária, marcada pela concentração da terra e do poder político local e regional.






resposta da questão 72:[E]


73. (UFMG) Observe esta charge:
 
(FONTE: LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto/Letras & Expressões, 2001. p.34.)

Nessa charge, faz-se referência à
a) REAÇÃO REPUBLICANA, conflito entre as oligarquias mineira e paulista e os coronéis dos estados do Sul e do Nordeste.
b) ALIANÇA LIBERAL, formada pelos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul no contexto da crise da República Velha.
c) CAMPANHA CIVILISTA, articulada por Rui Barbosa com o objetivo de dominar os executivos estaduais.
d) POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE, caracterizada pela alternância de políticos mineiros e paulistas na Presidência da República.

resposta da questão 73:[D]


74. (ENEM 2011) Até que ponto, a partir de posturas e interesses diversos, as oligarquias paulista e mineira dominaram a cena política nacional na Primeira República? A união de ambas foi um traço fundamental, mas que não conta toda a história do período. A união foi feita com a preponderância de uma ou de outra das duas frações. Com o tempo, surgiram as discussões e um grande desacerto final.

FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004 (adaptado).

A imagem de um bem-sucedido acordo café com leite entre São Paulo e Minas, um acordo de alternância de presidência entre os dois estados, não passa de uma idealização de um processo muito mais caótico e cheio de conflitos.Profundas divergências políticas colocavam-nos em confronto por causa de diferentes graus de envolvimento no comércio exterior.

TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1989 (adaptado).

Para a caracterização do processo político durante a Primeira República, utiliza-se com frequência a expressão Política do Café com Leite. No entanto, os textos apresentam a seguinte ressalva a sua utilização:

a) A riqueza gerada pelo café dava à oligarquia paulista a prerrogativa de indicar os candidatos à presidência, sem necessidade de alianças.
b) As divisões políticas internas de cada estado da federação invalidavam o uso do conceito de aliança entre estados para este período.
c) As disputas políticas do período contradiziam a suposta estabilidade da aliança entre mineiros e paulistas.
d) A centralização do poder no executivo federal impedia a formação de uma aliança duradoura entre as oligarquias.
e) A diversificação da produção e a preocupação com o mercado interno unificavam os interesses das oligarquias.




resposta da questão 74:[C]

75. (Ueg) Os anos iniciais da República foram marcados por rupturas e continuidades que vão além da mudança de regime político. Sobre esse período, é CORRETO afirmar:
a) A passagem do regime imperial para o regime republicano transformou o panorama político das províncias através do processo de centralização, observado na política do "encilhamento".
b) Como no restante do país, a mudança de regime em Goiás provocou a ascensão de novos grupos sociais que vinham se organizando sob as bandeiras do abolicionismo e do republicanismo.
c) A dicotomia entre o Brasil litorâneo e o Brasil sertanejo é explícita: em oposição à modernidade do Rio de Janeiro, misticismo, banditismo e pobreza caracterizam o interior do país.
d) O predomínio dos grupos urbanos, oriundos do comércio e da indústria, possibilitando uma maior representatividade das camadas populares, é uma realidade, como se observa já no governo de Campos Sales.


resposta da questão 75:[C]

76. (Pucpr) O governo republicano apoiaria os grupos dominantes nos Estados, enquanto estes, em troca, apoiariam a política do presidente. Esse arranjo, concebido por Campos Sales, ficou conhecido como:
a) Política dos Governadores.
b) Encilhamento.
c) Plano de Metas.
d) Café-com-leite.
e) Civilismo.

resposta da questão 76:[A]

77. (Mackenzie) "Preocupado em derrubar as velhas oligarquias..., acabou utilizando os velhos costumes políticos de corrupção e coação, anteriormente criticados através de um novo elemento: as tropas federais ( ... ). Substituindo uma oligarquia por outra, mantinha a desigualdade social, agora com novos beneficiados."
(Antônio Mendes Jr. e Ricardo Maranhão, BRASIL HISTÓRIA-REPÚBLICA, vol. III)

O texto relata um momento histórico do governo Hermes da Fonseca que se denominou:
a) Política do Café com Leite.
b) Política das Salvações.
c) "Funding-Loan".
d) Política Desenvolvimentista.
e) Socialização dos Prejuízos.


resposta da questão 77:[B]



78. (Ufpel 2006)
 
Texto 1
João Cândido é o marinheiro assinalado. Apesar do mito da passividade do povo brasileiro frente às injustiças e violências institucionalizadas, nossa história está repleta de revoltas.

Texto 2
"O pânico já estava generalizado. Só em um dia ocorreram 12 composições especiais para Petrópolis levando 3.000 pessoas. [...] A guarnição dos navios revoltados intimou as Fortalezas de Santa Cruz, Laje e São João a não atirarem sobre as belonaves, sob pena de os fortes serem arrasados. [...] A noite caiu e a cidade conheceu um novo senhor, João Cândido, simples marinheiro."
MOREL, Edmar. [...]. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

Texto 3
"Há muito tempo, Nas águas da Guanabara, O Dragão do Mar reapareceu, Na figura de um bravo feiticeiro A quem a História não esqueceu. Conhecido como Navegante Negro, Tinha a dignidade de um mestre-sala E, ao acenar pelo mar, na alegria das regatas, Foi saudado no porto Pelas mocinhas francesas Jovens polacas e por batalhões de mulatas". 
A letra "O Mestre Sala dos Mares" foi composta em 1975 por João Bosco e Aldir Blanc, e devido a censura, teve substituído no texto original "bravo marinheiro" e "Almirante Negro" por "bravo feiticeiro" e "Navegante Negro".

Os documentos apresentados referem-se à
a) Revolta da Armada na República da Espada, porém a alteração no poema foi determinada pelo governo Médici.
b) Revolta da Chibata na República Velha, enquanto a censura à canção ocorreu na Ditadura Militar.
c) Revolta dos "Dezoito do Forte de Copacabana" na República do "Café-com-Leite", ao passo que a restrição à letra da música foi determinada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda, no governo de Vargas.
d) Revolução Praieira no Segundo Reinado, contudo a modificação no poema ocorreu no governo Geisel.
e) Revolução Federalista na Primeira República, mas a substituição dos termos originais da música se deu durante a "abertura" pós Ditadura Militar.

resposta da questão 78:[B]

79. (Unicamp) "O bandido social é, em geral, membro de uma sociedade rural e, por razões várias, encarado como proscrito ou criminoso pelo Estado e pelos grandes proprietários. Apesar disso, continua a fazer parte da sociedade camponesa de que é originário e é considerado herói por sua gente, seja ele um justiceiro, um vingador, ou alguém que rouba dos ricos."
(Carlos Alberto Dória, SAGA. A GRANDE HISTÓRIA DO BRASIL)

Utilizando a definição anterior, explique o movimento do cangaço brasileiro.


resposta da questão 79:
Movimento considerado banditista (fora da lei), mas que deve ser inserido na condição miserável gerada pelos latifundiários do nordeste na primeira metade do século XX.



80. (Unesp) "O nome CANGAÇO vem do conjunto de armas carregadas por homens que prestavam serviços de proteção e defesa a chefes políticos locais. Suas armas eram tantas que pesavam sobre seus ombros como pesa a CANGA sobre o pescoço do boi. Daí o nome CANGACEIROS. Entretanto, nem sempre estiveram à disposição dos chefes políticos locais".

Responda:
a) Qual era a zona de ação do cangaço?
b) Por que surgiu esse fenômeno social?
c) Quais acontecimentos e transformações estruturais concorreram para seu fim?


resposta da questão 80:

a) sertão nordestino.

b) A fome, salários miseráveis, tudo isso pela falta de apoio governamental.

c) O Cangaço perdeu a força com o governo provisório de Getúlio Vargas, e foi ordenado a morte de todos os cangaceiros, capturaram e mataram Lampião e consequentemente Maria Bonita em 1939.

81. (Puc-mg) A implantação do regime republicano não modificou a situação de miséria dos trabalhadores do campo, fazendo surgir um movimento denominado Cangaço. Sobre isso, é correto afirmar, EXCETO:
a) Seus integrantes rebelaram-se contra uma ordem social injusta e opressiva.
b) Em quase todos os bandos, as mulheres participavam em pé de igualdade com os homens.
c) Os cangaceiros eram assalariados do crime, lutando a serviço dos coronéis que melhor pagassem.
d) Como fenômeno social, foi uma manifestação da revolta não organizada em termos políticos.
e) Os cangaceiros assaltavam propriedades e buscavam justiça pelas próprias mãos.


resposta da questão 81:[C]

82. (Fuvest) Na Primeira República, o processo de industrialização no Brasil sofreu sensível impulso com:
a) a extinção em 1906 da política de valorização do café, definida pelo Convênio de Taubaté.
b) a adoção da política protecionista, que impedia o estabelecimento de empresas estrangeiras no país.
c) o desencadear da Primeira Guerra Mundial, que acentuou as dificuldades para a importação de produtos.
d) a organização da "Comissão Verificadora", que controlava a entrada de manufaturas no Brasil.
e) a criação do Ministério da Indústria e Comércio, ocupado por Rui Barbosa.


resposta da questão 82:[C]

83. (Uerj)
 
Observe as gravuras referentes ao período da Primeira Guerra Mundial.
Considerando as transformações desse período, descreva:
a) uma transformação social que, decorrente da guerra, está diretamente relacionada às gravuras;
b) um reflexo da Primeira Guerra sobre a economia do Brasil.


resposta da questão 83:
a) Durante o período da Primeira Guerra Mundial foi necessário a mobilização de milhares de homens fazendo com que a utilização da mão de obra feminina fosse necessário.



b) O Brasil, cuja economia era voltada para o mercado externo foi prejudicada porque com a eclosão da guerra desorganizou o mercado international trazendo grandes dificuldades para a exportação do café, tendo seu preço em grande declínio.



84. (Puccamp) Sobre o fracasso da exploração da seringueira (produção da borracha) na Amazônia, é correto afirmar que uma de suas principais causas foi
a) a falta de mão-de-obra especializada na região, suprida pela migração nordestina que, no entanto, mostrou-se insuficiente.
b) a concorrência com a borracha produzida nas colônias britânicas do Sudeste asiático, cujo preço no mercado internacional era inferior.
c) a inadequação dessa atividade ao clima tropical úmido, que dificultava o transporte e o armazenamento do látex.
d) a crise econômica decorrente da Primeira Guerra Mundial, que paralisou as exportações brasileiras e a produção da borracha.
e) o subsídio governamental à produção de algodão, fumo e cacau no Nordeste, que tornou esses produtos mais lucrativos.


resposta da questão 84:[B]

85. (Unesp) Um líder anarquista assim se manifestou sobre a greve geral dos operários de 1917 em São Paulo: "Diga-se antes de tudo, que a greve geral, de 1917 não pode de maneira alguma se equiparar, sob qualquer aspecto que seja examinada, com outros movimentos (...) Isso não, absolutamente não! A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora."
(Edgard Leuenroth, "O Estado de S. Paulo", 27/03/1966).

A partir deste depoimento:
a) destaque, copiando, a parte do texto que evidencia as ideias anarquistas do referido líder;
b) caracterize as condições de trabalho da classe operária, no decorrer da República Velha, demonstrando a sua "vida tormentosa".


resposta da questão 85:
a) A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora.

b) Os trabalhadores urbanos durante a República Velha possuíam péssimas condições de vida e trabalho, estavam sujeitos à longas jornadas, recebiam baixos salários, tinham alimentação precária, condições insalubres de moradia, ausência de direitos trabalhistas, etc.


86. (Uerj)

 
(CAMPOS, Flavio de e MIRANDA, Renan G. "Oficina de história". São Paulo: Moderna, 2000.)

Ao longo do século XX, o movimento operário brasileiro se organizou e lutou de diferentes formas. Em 1917, ocorreu em São Paulo e no Rio de Janeiro a primeira greve geral na história desse movimento. A orientação ideológica das lideranças dessa greve e uma de suas reivindicações estão indicadas, respectivamente, em:
a) socialista - fim dos castigos corporais
b) comunista - luta por melhores salários
c) liberal - intervenção do Estado na economia
d) anarcossindicalista - diminuição da jornada de trabalho

resposta da questão 86:[D]

87. (Unicamp) Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos, das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão do território nacional.
(Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266).

a) Qual foi a importância da greve de 1917 em São Paulo?
b) A partir do texto, identifique as formas de repressão adotadas pelo governo de São Paulo contra a greve de 1917.
c) Qual o papel da imprensa operária nas primeiras décadas do século XX no Brasil?