quinta-feira, 7 de junho de 2012

Saiba mais sobre a colonização espanhola na América

Conheça os principais aspectos da colonização da América Espanhola






Agora teste seus conhecimentos sobre a colonização espanhola

1. (Uel) A administração colonial hispânica estava centralizada de forma a permitir o controle da Coroa sobre seus territórios americanos. O órgão máximo da política administrativa colonizadora da Monarquia Espanhola era denominado
a) Casa de Contratação.
b) Audiência.
c) Consulado.
d) "Pueblo".
e) Conselho Real e Supremo das Índias.


resposta:[E]


(PITÁGORAS) O trecho a seguir é referência para as questões 2 e 3.

Logo após a “descoberta” da América, o governo da Espanha começou a conquista para garantir a posse e a exploração das riquezas da região.


2. (PITÁGORAS) Para garantir a posse de riquezas, o governo espanhol criou as capitulações.
As capitulações eram:
a) Acordos feitos com particulares para que estes cuidassem da conquista.
b) Contratos feitos com os conquistados para evitar o contrabando de ouro.
c) Acordos feitos com países da Europa para evitar o fim dos monopólios.
d) Contratos entre espanhóis e nativos para regulamentar a exploração.

Resposta:[A]


3. (PITÁGORAS) Para reafirmar a autoridade espanhola no continente, os espanhóis criaram os adelantados.

Os adelantados eram:
a) Contratos que permitiam uma exploração temporária no novo continente.
b) Parceria entre governo espanhol e nativos rebelados contra a Espanha.
c) Conquistadores espanhóis com a missão de dominar a região em nome da Coroa espanhola.
d) Conquistadores espanhóis com a missão de fortalecer a escravidão na América espanhola.

 Resposta:[C]


4. (PITÁGORAS) Leia o trecho na seguir:

POLÍTICA COLONIAL
Nas colônias o poder dos adelantados foi eliminado com a formação dos Vice-Reinos e posteriormente dos Capitães gerais. O território colonial foi dividido em quatro Vice-Reinos -- Nova Espanha, Peru, Rio da Prata, e Nova Granada -- e posteriormente foi redividido, surgindo as Capitanias Gerais, áreas consideradas estratégicas ou não colonizadas. Os Vice-Reis eram nomeados pelo Conselho das Índias e possuíam amplos poderes, apesar de estarem sujeitos à fiscalização das Audiências.
www.mundoeducacao.uol.br

As Audiências eram tribunais superiores que
a) exerciam funções de justiça.
b) exerciam funções militares.
c) exerciam funções fazendárias.
d) regulamentavam o trabalho.

Resposta:[A]

 
5. (Unirio) A administração colonial na América Espanhola estava centralizada de forma a permitir o controle da Coroa sobre seus territórios americanos. O órgão representante da política administrativa colonizadora da Coroa Espanhola era a(o):
a) Casa de Contratação.
b) "Audiência".
c) Consulado.
d) "Pueblo".
e) Conselho Real e Supremo das Índias.


resposta:[B]

6. (Fuvest) "As aldeias de índios estão forçadas a entregar certa quantidade de seus membros aptos para realizar trabalhos (...), durante um prazo determinado. Esses índios são compensados com certa quantidade de dinheiro e destinados aos mais variados tipos de serviços." 
Esse trecho da obra de Sérgio Bagú, ECONOMIA DA SOCIEDADE COLONIAL, apresenta as condições de trabalho compulsório
a) dos diversos grupos indígenas das áreas colonizadas por espanhóis e portugueses.
b) dos grupos indígenas das áreas espanholas submetidos à instituição da "mita".
c) dos grupos indígenas das áreas portuguesas submetidas às regras da "guerra justa".
d) dos grupos indígenas das áreas agrícolas de colonização espanhola submetidos ao regime de "encomienda".
e) dos grupos indígenas das áreas portuguesas e espanholas originários das "missões" dos jesuítas.


resposta:[B]

7. (Cesgranrio) Na América Colonial Espanhola, no século XVI, as populações nativas foram utilizadas em diversas relações de trabalho. Dentre essas, uma das mais rentáveis para a Coroa foi a que permitia aos espanhóis cobrarem tributos dos nativos em gêneros ou prestações de trabalhos nos campos. Essa forma de trabalho era denominada:
a) "Mita".
b) "Obrajes".
c) "Cabildos".
d) "Encomienda".
e) "Ayuntamientos".


resposta:[D]

8. (Fatec) "Em trezentos anos, a rica montanha de Potosí queimou (...) oito milhões de vidas. Os índios eram arrancados das comunidades agrícolas e empurrados, junto com suas mulheres e seus filhos, rumo às minas. De cada dez que iam aos altos páramos gelados, sete nunca regressavam. Luís Capoche, dono de minas e de engenhos, escreveu que os caminhos estavam tão cobertos que parecia que se mudava o reino . Nas comunidades, os indígenas viram voltar muitas mulheres aflitas, sem maridos, e muitos órfãos sem seus pais , sabiam que na mina esperavam mil mortes e desastres . Os espanhóis percorriam centenas de quilômetros em busca de mão-de-obra. Muitos dos índios morriam pelo caminho, antes de chegar a Potosí (...). A conquista rompeu as bases daquelas civilizações. Piores conseqüências do que o sangue e o fogo da guerra teve a implantação de uma economia mineira."
(Galeano, E. VEIAS ABERTAS DA AMÉRICA LATINA)
De acordo com o texto, a forma de trabalho compulsório imposta aos indígenas era:
a) "mita".
b) "encomienda".
c) corvéia.
d) sesmarias.
e) capitação.


resposta:[A]

9. (UFRRJ) "1785 Cidade do México Sobre a Literatura de Ficção na Época Colonial
O vice-rei do México, Matias de Gálvez, assina um novo decreto a favor dos trabalhadores índios. Receberão os índios salário justo; bons alimentos e assistência médica; e terão duas horas de descanso, ao meio dia, e poderão mudar de patrão quando quiserem."   
    (GALEANO, Eduardo. "As Caras e as máscaras." Rio, Nova Fronteira, 1985. p.107.)

O autor procura ironizar com o título dado ao texto as práticas desenvolvidas pelos espanhóis na América, já que
a) os indígenas trabalhavam legalmente como escravos dos espanhóis sendo falsa a idéia de "salário justo" e "boas condições de vida e trabalho".
b) apesar das várias legislações sobre o assunto, ocorria, na prática, uma superexploração do trabalho indígena sob os regimes da mita ou da encomienda.
c) a situação dos indígenas americanos era, na época, bem melhor do que propunha o decreto do vice-rei do México pela pressão exercida a favor deles pela Igreja Católica.
d) os indígenas não podiam nunca mudar de patrão pois este sempre fora o rei da Espanha, que não abria mão dessas prerrogativas.
e) o decreto não tinha razão de ser, pois os indígenas mexicanos tinham sido completamente dizimados pela conquista e pelo trabalho de exploração mineral no século XVI.


resposta:[B]

10. (UFMG) Leia estes trechos em que se trata das relações de trabalho nas colônias espanholas da América:
I. As aldeias eram distribuídas entre os conquistadores, "que passavam a explorar-lhes o sobretrabalho sem, contudo, escravizar os índios. [...] podiam exigir tributos em gêneros [...] ou prestações de trabalho ..." Os colonizadores deveriam, em contrapartida, defender as aldeias e evangelizar os índios.
II. "Cada comunidade deveria fornecer, periodicamente, uma quantidade de trabalhadores para as atividades coloniais [principalmente nas minas]. [...] Pelo trabalho [...], os índios deveriam receber um salário, parte do qual obrigatoriamente em moeda (ou metal), a fim de que pudessem pagar o tributo régio."
III. "Na hacienda praticou-se, largamente, o sistema de endividamento de trabalhadores, a fim de retê-los na propriedade. [...] o trabalhador recebia como salário um crédito na tienda de raya (onde retirava alimentos, roupas, etc.), além de um lote mínimo de subsistência."
VAINFAS, Ronaldo. Economia e sociedade na América Espanhola. Rio de Janeiro: Graal, 1984. p. 61-4.

Considerando-se as formas de exploração do trabalho indígena neles descritas, os trechos I, II e III referem-se, respectivamente, a
a) peonaje, ejidos e plantation.
b) ayllu, plantation e obrajes.
c) encomienda, mita e peonaje.
d) obrajes, ayllu e ejidos.


resposta:[C]

11. (Uerj) Ao longo dos primeiros duzentos anos de dominação colonial, os espanhóis desenvolveram um setor mineiro que permitiu a manutenção da economia metropolitana (...). Os enclaves necessitavam de grande quantidade de mão-de-obra indígena que, recrutada por sorteio, era encaminhada periodicamente às minas, retornando a seguir às comunidades de origem para ser substituída por novos contingentes requisitados de igual maneira.
(PINSKY, Jaime (coord.). História da América: através de textos. Campinas: Editora da Unicamp, 1986.)

O texto acima descreve a seguinte forma de trabalho nativo utilizada pelos espanhóis na América:
a) hacienda
b) encomienda
c) contratación
d) repartimiento


resposta:[D]

12. (Unicamp 2007) "Depois da conquista da América pelos espanhóis, ocorreu uma explosão populacional de gado, porcos, carneiros e cabras, os quais causaram grandes danos às plantações de milho indígenas, que não eram protegidas. As medidas tomadas pela população indígena eram, muitas vezes, ineficazes. Os conquistadores preferiam o gado. Bois e carneiros eram protegidos pela lei, pelos costumes e pelo sentimento espanhóis. As leis que protegiam a pecuária na Península Ibérica foram exportadas para o México e permitiam que o gado pastasse em propriedade alheia. Os animais destruidores eram, afinal, propriedade dos vitoriosos; a agricultura, dos derrotados."
(Adaptado de Kenneth Maxwell, Morte e sobrevivência. "Folha de S. Paulo", 11/08/2002, Mais!, p. 8.)
a) Segundo o texto, por que a agricultura indígena foi prejudicada após a conquista da América?
b) Indique dois outros efeitos da conquista da América sobre as populações indígenas.
c) O que foi a "encomienda", utilizada pela colonização espanhola na América?


resposta:
a) Segundo o professor Kenneth Maxwell, a expansão da criação de bois, porcos, carneiros e cabras acabou por destruir plantações de milho dos indígenas, identificando a propriedade dos animais aos vencedores e as plantações aos vencidos.
b) Perda da identidade cultural e decréscimo populacional indígena.
c) Trabalho indígena em troca de proteção e catequização.

13. (UNESP 2007) A conquista sanguinária da América espanhola é dominada por [uma] paixão frenética. Rio da Prata, Rio do Ouro, Castela do Ouro, Costa Rica, assim se batizavam as terras que os conquistadores desvendavam ao mundo...
(Paulo Prado. Retrato do Brasil. 1928.)
A “paixão frenética” da conquista da América a que se refere o autor está relacionada
a) à irracionalidade da expansão comercial e marítima européia, realizada sem conhecimentos tecnológicos adequados.
b) às condições de crise econômica das populações nativas dominadas pelo império dos astecas e dos incas.
c) à ação da burguesia espanhola que agiu isoladamente, dado o desinteresse do governo espanhol pelos territórios americanos.
d) ao acordo entre banqueiros e sábios europeus para ampliar o conhecimento científico e facilitar a exploração econômica da região.
e) ao esforço de solucionar a crise da economia européia motivada pela escassez do meio circulante.

resposta:[E]

Entre as possíveis explicações para o grande interesse das potências coloniais nos séculos XV e XVI, há aquela que considera o processo de exploração e conquista da América como forma de superação dos efeitos das chamadas “crises do século XIV” no Ocidente europeu.

14. (Puc-rio) A conquista e a colonização européias na América, entre os séculos XVI e XVIII, condicionaram a formação de sociedades coloniais diversas e particulares. Sobre tais sociedades podemos afirmar que:
I - nas áreas de colonização espanhola, explorou-se, exclusivamente, a força de trabalho das populações ameríndias, sob a forma de relações servis, como a "mita" e a "encomienda".
II - nas áreas de colonização portuguesa, particularmente nas regiões destinadas ao fabrico do açúcar, foi empregada, em larga escala, a mão-de-obra escrava de negros africanos e/ou de indígenas locais.
III - ao norte do litoral atlântico norte-americano, área de colonização inglesa, houve o estabelecimento de pequenas e médias propriedades, nas quais se utilizou tanto o trabalho livre quanto a servidão por contrato.
IV - na região do Caribe, em áreas de colonização inglesa e francesa, assistiu-se à implantação da grande lavoura, voltada para a exportação e assentada no uso predominante da mão-de-obra de escravos africanos. Assinale a alternativa correta.
a) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
b) Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.
c) Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.
d) Apenas as afirmativas I, III e IV estão corretas.
e) Todas as afirmativas estão corretas.


resposta:[C]

15. (Uel 2007) Leia o texto a seguir: "A causa pela qual os espanhóis destruíram tal infinidade de almas foi unicamente não terem outra finalidade última senão o ouro, para enriquecer em pouco tempo, subindo de um salto a posições que absolutamente não convinham a suas pessoas; enfim, não foi senão sua avareza que causou a perda desses povos, que por serem tão dóceis e tão benignos foram tão fáceis de subjugar; e quando os índios acreditaram encontrar algum acolhimento favorável entre esses bárbaros, viram-se tratados pior que animais e como se fossem menos ainda que o excremento das ruas; e assim morreram, sem Fé e sem Sacramentos, tantos milhões de pessoas.[...]."
Fonte: LAS CASAS, B. de. "O paraíso destruído". Tradução de Heraldo Barbuy. Porto Alegre: L & PM, 1985. p. 30.

Com base no texto, é correto afirmar:
a) Bartolomé de Las Casas voltou-se contra a Coroa Espanhola ao perceber que a conquista da América sufocaria as possibilidades de evangelização dos habitantes do novo continente.
b) No episódio da conquista da América, o Frei Dominicano Bartolomé de Las Casas ficou conhecido como defensor incondicional dos índios, ao ressaltar a crueldade dos conquistadores.
c) Os conquistadores da América hispânica e da portuguesa rechaçaram o discurso do Frei Las Casas por considerarem que seus pensamentos representavam os princípios da Igreja Católica, contrária à expansão territorial.
d) O Frei Dominicano defendeu a dignidade e a liberdade dos indígenas até sua morte, transformando-se, assim, em ícone do livre-arbítrio nas Américas de colonização espanhola, portuguesa e inglesa.
e) O discurso de Las Casas em defesa dos indígenas era uma das diversas estratégias de conquista, uma vez que ele representava nas colônias os interesses da Coroa Espanhola.


resposta:[B]

16. (UFPR 2008) "O que podia acontecer a estes bárbaros mais conveniente ou mais saudável do que serem submetidos ao domínio daqueles cuja prudência, virtude e religião os converterão de bárbaros, tais que mal mereciam o nome de seres humanos, em homens civilizados o quanto podem ser, de facinorosos em probos, de ímpios e servos do demônio em cristãos e cultores da verdadeira religião? [...] E se recusarem o nosso domínio poderão ser coagidos pelas armas a aceitá-lo, e esta guerra será, como acima declaramos com autoridade de grandes filósofos e teólogos, justa pela lei da natureza, muito mais ainda do que a que fizeram os romanos para submeter a seu império todas as demais nações, assim como é melhor e mais certa a religião cristã do que a antiga dos romanos, sendo maior o que em engenho, prudência, humanidade, fortaleza de alma e de corpo e toda virtude os espanhóis fazem a estes homúnculos do que os antigos romanos faziam às outras nações."
(As justas causas de guerra contra os índios, segundo o tratado de Demócrates Alter, de Juan Ginés de Sepúlveda. In: SUESS, Paul (coord.). "A conquista espiritual da América Espanhola". Petrópolis: Vozes, 1992, p. 534-535.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a conquista da América, é correto afirmar que Juan Ginés de Sepúlveda:
a) ficou ao lado de Bartolomé de Las Casas na defesa dos índios da América, adotando uma posição fundada na teoria da desigualdade natural dos homens, que afirmava ser injusto os povos superiores escravizarem os inferiores.
b) criticou o expansionismo espanhol na América com base na teologia cristã, que afirmava ser a escravidão um pequeno preço a pagar diante os benefícios da inserção do indígena na civilização européia e, portanto, na comunidade cristã.
c) traçou as diretrizes gerais do Estado espanhol em relação à política indigenista na América, na medida em que defendia a idéia de que caberia à igreja Católica, sob a supervisão da Coroa, promover a conversão dos conquistados para a religião cristã.
d) defendeu a tese de que a Coroa Espanhola deveria estabelecer uma política centralizada em relação à conversão dos indígenas americanos, pois ficou incomodado com as narrativas das atrocidades cometidas pelos conquistadores espanhóis em relação aos incas e astecas.
e) foi um representante do renascimento ibérico, na medida em que combina em seu pensamento elementos da teologia cristã e da filosofia da antiguidade greco-romana, dentre eles a idéia de guerra justa, justificando assim o domínio espanhol na América.


resposta:[E]


17. (UFMG) "Quando, em 1556, os soberanos da Espanha proibiram o uso das palavras conquista e conquistadores em relação à América, elas desapareceram dos atos oficiais, mas ficaram nos fatos".
(Romano, Ruggiero. REVOLUÇÕES. São Paulo. Ed. Três, 1974. v.2. n°16)

Com respeito à colonização espanhola da América, INDIQUE
a) Dois aspectos relativos à imposição de novas estruturas políticas nas colônias.
b) Duas estratégias adotadas na organização econômica das colônias.
c) Uma característica da estrutura religiosa imposta às colônias.


resposta: 
a) Divisão da América em vice-reinados e capitanias gerais e Implantação de audiências e de Casas de Contratação.
b) Estruturação das colônias no modelo de exploração.
c) Expansão do catolicismo.

18. (UFPR) Sobre a sociedade, a economia e a estrutura político-administrativa da América Espanhola Colonial, é correto afirmar que:
(01) Entre os séculos XVI e XVIII, a Espanha estabeleceu um rígido controle da navegação e do comércio com suas colônias da América, instituindo a "Casa de Contratação" e os sistemas de "portos únicos" e de "frotas anuais".
(02) Através da "mita" e da "encomienda", explorava-se a mão-de-obra indígena.
(04) Entre a minoria branca que constituía a população das colônias, havia os "chapetones" (brancos nascidos na Espanha) e o "criollos" (brancos nascidos na América).
(08) A máquina burocrática era exclusivamente controlada pela Igreja.
(16) No início do século XVIII, existiam quatro "Vice-Reinos" (Nova Espanha, Nova Castela, Nova Granada e Rio da Prata), sob o comando de Vice-Reis que concentravam muito poder.
(32) Os "cabildos" ou "ayuntamientos" (câmaras municipais), de que faziam parte os Regedores, mantiveram viva a tradição de autogoverno, fator significativo quando se desencadeou o processo de independência.

Soma = ( )


resposta:
01 + 02 + 04 + 16 + 32 = 55

19. (Fatec) A colonização espanhola:
a) fundamentou-se na divisão da colônia em vice-reinos diretamente ligados à Espanha, destacando-se a Casa de Contratação e o Conselho das Índias.
b) utilizou quase que exclusivamente a mão-de-obra negra, devido ao fato de a população indígena ter sido dizimada durante a conquista.
c) desenvolveu nas colônias uma produção diversificada, produzindo-se manufaturas na região setentrional e algodão na região meridional.
d) baseou-se nas culturas tropicais de exportação, nos minifúndios e na mão-de-obra servil.
e) criou uma organização administrativa centralizada com sede em Lima.


resposta:[A]

20. (Uff) Durante o Renascimento, o Mundo Ibérico caracterizou-se por sua política de descobrimentos e de colonização do Novo Mundo. Sobre as relações coloniais na área de expansão espanhola no Novo Mundo, afirma-se:
I) A Casa de Contratación era uma entidade com sede em Sevilha que se encarregava de organizar o comércio na América e cobrar a parte real nas transações com metais preciosos (o quinto).
II) O domínio espanhol sobre Portugal foi parte da política expansionista de Felipe II. III) A criação dos vice-reinos teve como um dos objetivos manter os colonizadores sob a direção metropolitana.
IV) A enorme extensão dos domínios da Espanha na América e a força dos interesses particulares dos colonos prejudicaram a política descentralizadora de Castela.

As afirmativas que estão corretas são as indicadas por:
a) I, II e III
b) I e III
c) I, III e IV
d) I e IV
e) II, III e IV


resposta:[A]

21. (UFMG) Na Hispano-América Colonial, a administração municipal centralizou-se:
a) nas intendências que, até o século XVIII, controlavam a vida dos funcionários da Coroa.
b) nos Vice-Reinos, que se localizavam nas áreas de maior valor econômico.
c) nas Audiências, verdadeiros tribunais judiciários, onde atuavam os ouvidores.
d) nos Cabildos, que possuíam poderes legislativos e judiciários.
e) nas Capitanias-Gerais, localizadas em territórios estrategicamente importantes.


resposta:[D]

 
22. (Unirio-2000) “Ao longo dos duzentos primeiros anos de dominação colonial, os espanhóis desenvolveram um setor mineiro que permitiu a manutenção da economia metropolitana e da posição internacional espanhola em meio às demais nações da Europa ocidental. As primeiras descobertas ocorreram no México e no Peru, no curto período de vinte anos (1545-65). Os enclaves necessitavam de grande quantidade de mão-de-obra indígena, que, recrutada por sorteio, era encaminhada  periodicamente às minas, retornando a seguir às comunidades de origem para ser substituída por novos contingentes requisitados de igual maneira.”
 (STANLEY, J. S. e STEIN, B. “A herança colonial na América Latina”. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1976, p.29-35)

 O texto nos remete a uma especificidade da economia colonial da América Espanhola, qual seja, a utilização em larga escala do trabalho compulsório indígena. A este respeito, atenda ao solicitado a seguir.
a) Justifique a utilização, na América Hispânica, da mão-de-obra indígena, preferencialmente, em relação à mão-de-obra negra africana.
b) Cite e explique duas formas de utilização da mão-de-obra indígena na América Espanhola.

resposta:
a)  Os espanhóis encontraram nas suas áreas de colonização na América, uma maior densidade demográfica com relação às populações indígenas, que já possuíam toda uma estrutura  produtiva de exploração baseada no trabalho coletivo (a exemplo da mita), que  foi aproveitada pelo colonizador hispânico bastando apenas sujeitá-la `a dominação e aos moldes das ambições econômicas da Europa.
b)  O colonizador espanhol utilizou-se da Mita e da Encomienda como forma de estabelecer a exploração dos nativos. Através da mita o colonizador europeu sujeita o nativo a uma forma de trabalho compulsório, utilizado geralmente nas áreas de
mineração, e que consistia no recrutamento por sorteio da mão-de-obra entre as comunidades indígenas. Pelo fato desse recurso se valer de uma irrisória remuneração, os nativos muitas vezes, contraíam dívidas junto ao conquistador, fato este que determinava o estabelecimento de vínculos definitivos entre explorado e explorador.  Pela encomienda - forma de “escravização disfarçada”- onde um dignatário espanhol (o encomendero) recebia o controle sobre uma determinada comunidade indígena com a obrigação  de protegê-la militarmente, educá-la e catequizá-la. Em troca, o encomendero  poderia exigir da comunidade o pagamento de tributos na forma de trabalho ou em espécie.


 
23. (UFPR) A empresa colonial espanhola na América teve na exploração dos metais preciosos sua principal base econômica.
Aponte as principais implicações desse fato na prática econômica da Espanha.

resposta:
 O mercantilismo espanhol que  apoiou-se no metalismo, desenvolveu um senso de prioridade pela busca e entesouramento de metais. A exploração de metais preciosos (ouro e prata) em território americano, permitiu o desenvolvimento de  um processo de favorecimento econômico do Estado espanhol  já no século XVI por conta das grandes quantidades desses metais extraídos de suas colônias na América. No entanto, a Espanha não priorizou dinamizar as atividades manufatureiras e mercantis em seu território colocando-se sob a dependência, sobretudo da Inglaterra, tanto para o abastecimento metropolitano quanto  colonial. As fragilidades econômicas da Espanha forçaram-na a abrir concessões feitas aos ingleses que,  pelo Tratado de Utrecht de 1713,  deu aos britânicos  o direito de vender mercadorias sem respeitar as taxações aduaneiras - era o navio de permisso. Os ingleses ainda tiveram condições de vender , sob forma de monopólio, escravos africanos  que fossem necessários - era o asiento, e através de seu cumprimento puderam penetrar em portos, estabelecer feitorias, além de introduzirem ilegalmente outras mercadorias.


24. (Unesp) "Em uma esquematização levada ao extremo, pode-se dizer que os primeiros cento e cinqüenta anos da presença espanhola nas Américas foram marcados por grandes êxitos econômicos para a Coroa e para a minoria espanhola que participou diretamente da conquista, e pela destruição de grande parte da população indígena preexistente..."
(Celso Furtado, FORMAÇÃO ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA.)
a) A que principal atividade ligam-se "os grandes êxitos econômicos"?
b) A que se deve "a destruição de grande parte da população indígena preexistente"?


resposta:
a) Os espanhóis beneficiaram-se da exploração colonial por conta da primazia e sucesso da extração de metais.
b) No processo de dominação e conquista da América, os  europeus combinaram vários elementos que possibilitaram a destruição das estruturas sociais locais. As armas de fogo (mosquetes, arcabuzes, pistolas e canhões ) proporcionavam uma vantagem tripla para o conquistador: permitiam combater à distância, provocavam ferimentos de  morte ou inutilização do adversário, além de causarem terror psicológico acentuado por conta do espanto que o nativo demonstrava ao verificar o efeito da utilização desses instrumentos. O uso do cavalo deu ao  conquistador grande mobilidade nos combates e despertava o temor no ameríndio já que o animal não era conhecido na América. Os espanhóis foram favorecidos também pela existência de lendas, crenças e superstições locais que chegavam a divinizar a figura dos conquistadores. A imposição da cristandade e valores europeus contribuíram para subjugar os nativos que, por serem considerados inferiores e “sem fé”, tiveram seus valores desprezados e alterados pelo conquistador. E, por fim, a proliferação de várias doenças como tifo, sarampo, varíola, febre, por exemplo, das quais os nativos não possuíam capacidade imunológica.


 
25. (Uerj) Na Espanha, o fato de não possuir ascendentes judeus ou árabes constitui uma espécie de título de nobreza; na América, a cor da pele (mais ou menos branca) indica a posição social do indivíduo.
(HUMBOLDT, A. von. "Ensaio político sobre o reino da Nova Espanha". 1807. Apud S. Stein & B. Stein. A HERANÇA COLONIAL DA AMÉRICA LATINA. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1 977.)

O trecho acima demonstra que a conquista e a colonização da América hispânica possibilitaram a formação de uma sociedade hierarquizada, em que, além do "pureza de sangue" e da renda, a cor constituía-se em outro critério básico para o pertencimento à elite social. Nessa perspectiva, a sociedade do América colonial hispânica pode ser caracterizada pela:
a) incorporação da nobreza ameríndia à elite peninsular e criolla
b) proibição legal da miscigenação entre peninsulares e ameríndios
c) impedimento à ascensão dos criollos aos altos cargos administrativos
d) importância do clero ameríndio nas principais cidades mineiras e portuárias


resposta:[C]

26. (Uerj) Uma comparação superficial entre as sociedades ibéricas e ibero-americanas por volta de 1700 sugere que os ibéricos haviam logrado reproduzir no México, no altiplano andino e ao longo das costas brasileiras, uma réplica (pelo menos um simulacro) de suas próprias sociedades.
(STANLEY, J. S. e STEIN, B. A Herança Colonial na América Latina. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.)
a) Cite duas características da sociedade colonial da América portuguesa.
b) Estabeleça uma diferença quanto à participação política dos "chapetones" e "criollos" nas colônias espanholas da América.


resposta:
a)  A sociedade que se estabeleceu na colônia portuguesa mostrou-se  aristocrática e patriarcal, utilizando-se  do trabalho forçado predominantemente  negro- africano.
 Valores religiosos centrados nas concepções da cristandade ocidental determinaram a conduta moral-religiosa da sociedade em questão.
b)  Aos chapetones, brancos nascidos no Reino, era permitido o acesso aos mais importantes cargos administrativos, militares e eclesiásticos coloniais. Aos criollos, embora constituíssem as aristocracias regionais no universo colonial, não lhes eram permitidos tais cargos. Tinham sua participação política restrita quase exclusivamente aos cabildos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário