sábado, 23 de junho de 2012

Roteiro de estudo: A arte no Egito antigo


Confira um resumo de História da Arte Egípcia







Lista de questões sobre a História da Arte egípcia

1. (UCS/RS) Em 2001, a cidade de São Paulo foi palco da exposição pioneira "A Arte no Egito no Tempo dos Faraós". Pela primeira vez foram expostas no Brasil 56 peças da milenar civilização do Egito Antigo, trazidas diretamente do acervo do Museu do Louvre, de Paris. Assim, os brasileiros tiveram oportunidade de visualizar um panorama de 3.000 anos de arte de uma das primeiras civilizações da história.
Considere as seguintes afirmativas sobre o Egito Antigo, sua história e sua religião.
I. Inserido no contexto do Modo de Produção Asiático, o Egito antigo conviveu com as outras civilizações localizadas nas proximidades do Mediterrâneo Oriental consideradas as primeiras da história, como as que se desenvolveram na Mesopotâmia e na Palestina, além de fenícios e persas.
II. A religião egípcia, como todas as outras religiões antigas, caracteriza-se pelo monoteísmo, apresentando Deus como um ser com os vícios e virtudes dos homens, porém muito mais sábio e com a magia que o torna muito mais poderoso.
III. O estudo da história egípcia nos tempos modernos começou com a descoberta da pedra de Rosetta e a interpretação dos hieróglifos pelo historiador francês Jean François Champollion (1790-1832), que em 1826 pediu ao rei Carlos X, da França, para começar uma coleção de antiguidades egípcias no Louvre, que hoje conta com mais de 60 mil itens.
Das afirmativas acima, pode-se dizer que
a) apenas I está correta.
b) apenas II está correta.
c) apenas III está correta.
d) I e III estão corretas.
e) I, II e III estão corretas.

resposta:[D] 

2. (FURG/RS) O Antigo Egito é conhecido pela grandeza de sua arte e arquitetura representadas pelas pirâmides. Sua religião é estudada por historiadores, arqueólogos, antropólogos, místicos entre muitos outros. Sobre a religião egípcia podemos afirmar:
a) O rei era definido como o centro de todas as coisas, no Egito; somente, durante o reinado de Amenófis IV, a nação viveu sob o politeísmo.
b) O rei se definia literalmente como o centro de todas as coisas, inclusive, dos países estrangeiros; somente, durante o reinado de Amenófis III, o Egito viveu sob o monoteísmo.
c) O rei se definia literalmente como o centro de todas as coisas, inclusive, dos países estrangeiros; somente, durante o reinado de Amenófis IV, o Egito viveu sob o monoteísmo.
d) O rei se posicionava como centro do mundo natural, inclusive dos países estrangeiros, mas, durante o reinado de Amenófis IV, o Egito laicizou-se o Estado.
e) O rei se definia literalmente apenas como dirigente de todas as coisas, inclusive dos países estrangeiros, devidamente escolhido por seus súditos, somente, durante o reinado de Amenófis IV, o Egito viveu sob o politeísmo.


 resposta:[C] 

3. (UCG/GO)
O Tribunal de Osíris
“Tu choraste em presença da morte?
Na presença da morte choraste?
Não descende o cobarte do forte;
Pois choraste, meu filho não és!
A morte sempre esteve no contexto das representações dos povos desde a antiguidade até a Idade Contemporânea. As visões e atitudes diante a morte podem ser percebidas pelo homem, em cada momento da história. Nesse sentido, pode-se afirmar que
a) quando um faraó egípcio morria, ele não era julgado no Tribunal de Osiris. Pelo poder acumulado, estes faraós já tinham entrada garantida no reino dos céus ou no reino do além.
b) eram comuns, tanto no Egito como na Europa medieval, as práticas de embalsamamento dos corpos dos Faraós e sacerdotes.
c) segundo a religião do Egito, quando alguém morria era julgado pelo tribunal de Osiris. Lá, seu coração era colocado em uma parte da balança e, na outra, uma pluma de avestruz de Maát, representando a justiça. A pesagem era registrada pelo escriba dos deuses, o deus Thot. Se a balança se equilibrasse, o morto era conduzido, por Osíris, para o além.
d) Na Idade Média tratou-se da morte não como um rito de passagem para a morada definitiva da alma, a derradeira peregrinação do homem-viajante medieval, mas como o momento de ressurreição para a vida eterna.

  
resposta:[C]

4. (UFC) Aos egípcios devemos uma herança rica em cultura, ciência e religiosidade: eram habilidosos cirurgiões e sabiam relacionar as doenças com as causa naturais; criaram as operações aritméticas e inventaram o sistema decimal e o ábaco. Sobre os egípcios, é correto afirmar também que:
a) foram conhecidos pelas construções de navios, que os levaram a conquistar as rotas comerciais para o Ocidente, devido a sua posição geográfica, perto do mar Mediterrâneo.
b) deixaram, além dos hieróglifos, outros dois sistemas de escrita: o hierático, empregado para fins práticos, e o demótico, uma forma simplificada e popular do hierático.
c) praticaram o sacrifício humano como forma de obter chuvas e boas colheitas, haja vista o território onde se desenvolveram ser desértico.
d) fizeram o uso da escrita cuneiforme, que inicialmente foi utilizada para designar objetos concretos e depois ganhou maior complexidade.
e) usaram as pirâmides para fins práticos, como, por exemplo, a observação astronômica.

 resposta:[B]

5. (UFSCAR/SP) Analise a imagem.

É correto afirmar que a imagem representa:
a) uma cena do cotidiano dos hititas, na pesagem de mercadorias comercializadas com o povo egípcio.
b) acontecimentos do sonho de Moisés, de libertação do povo hebreu, quando era prisioneiro do faraó egípcio.
c) o início do mundo para os antigos egípcios, quando Nut, deusa do céu e das estrelas, anuncia sua vitória diante de Chu, deus do Ar.
d) o livro dos mortos dos egípcios, com Osíris à direita e Anúbis ao centro, pesando o coração de um morto para avaliar sua vida.
e) o livro dos mortos dos egípcios, com Osíris à direita e Anúbis ao centro, pesando o coração de um morto para avaliar sua vida.


resposta:[D]

6. (UFG/GO)

A pintura egípcia pode ser caracterizada como uma arte que:
a) definiu os valores passageiros e transitórios como forma de representação privilegiada.
b) concebeu as imagens como modelo de conduta, utilizando-as em rituais profanos.
c) adornou os palácios como forma de representação pública do poder político.
d) valorizou a originalidade na criação artística como possibilidade de experimentação de novos estilos.
e) elegeu os valores eternos, presentes nos monumentos funerários, como objeto de representação.

resposta:[E]

7. (UP/PR)  “... Quéops forçou todos os egípcios a trabalhar para ele... Grupos de cem mil homens trabalhavam continuamente, cada grupo durante três meses. Foram necessários dez anos de opressão do povo para a construção da estrada por onde os blocos de pedras eram arrastados... Nas obras da própria pirâmide foram consumidos vinte anos...”.
(Heródoto. História. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1988, p. 128)
Sobre a organização econômica e social no Egito Antigo, assinale a alternativa Incorreta:
a) O Egito faraônico, salvo nos períodos de anarquia e divisão, era um reino centralizado, no qual o Estado exercia estreito controle sobre a economia do país.
b) Os camponeses organizados em comunidades aldeias recebiam terras para o cultivo, pagando em tributos e em trabalho. Os excedentes recolhidos eram depositados em armazéns pertecentes ao Estado. A distribuição não era igualitária. A fatia maior cabia aos altos funcionários, sacerdotes, escribas, militares, artesãos qualificados e outros. Por último, era distribuída a ração para os trabalhadores braçais.
c) Graças às guerras de conquistas, predominou o trabalho escravo, especialmente na construção das grandes obras públicas como templos e pirâmides.
d) A mulher egípcia tinha personalidade jurídica. Agia sob sua própria responsabilidade, sem consentimento de um terceiro e, assim, ela podia livremente fazer um acordo com um interlocutor, fosse homem ou mulher. Quando ocorria um delito, a mulher era perseguida judicialmente pela autoridade pública, sem o intermédio de qualquer tutela.
e) Na maioria dos textos, a vida cotidiana do camponês era difícil. Trabalho árduo e incessante, necessidades, miséria, fome e pesados impostos. Sofria muito e vivia pouco.


resposta:[C]

8. (UFMS) Sobre a arte egípcia, é incorreto afirmar:
a) As grandes manifestações da arquitetura egípcia foram os magníficos templos religiosos, as pirâmides, os hipogeus e as mastabas.
b) Na pintura, as figuras eram representadas com os olhos e os ombros em perfil, embora com restante do corpo de frente.
c) A escultura egípcia obedecia a uma orientação predominantemente religiosa. Eram numerosas as estátuas esculpidas com a finalidade de ficar dentro de túmulos. A escultura egípcia atingiu seu desenvolvimento máximo com os sarcófagos, esculpidos em pedra ou madeira.
d) A cultura egípcia foi profundamente marcada pela religião e pela supremacia política do faraó. Esses dois elementos exerceram grande influência nas artes (arquitetura, escultura, pintura, literatura) e na atividade científica.
e) A gradação, a mistura de tonalidades, o claro-escuro não eram utilizados.

resposta:[B]

9. (UFMS) Sobre o Antigo Egito, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):
1 - A religiosidade egípcia tinha, como sua principal característica, o monoteísmo antropozoomórfico.
2 - A formação da sociedade e a economia egípcia estavam intimamente vinculados às cheias e vazantes periódicas dos rios Tigre e Eufrates.
4 - A produção artística era predominantemente de inspiração religiosa.
8 - A preocupação com os mortos fez com que os egípcios construíssem túmulos duradouros como as Mastabas e os Hipogeus, lugares onde eram sepultados nobres e sacerdotes ilustres.
16 - A economia era controlada pelo faraó, dono nominal da maioria das terras, sendo a agricultura a principal atividade econômica que, de modo geral, estava voltada para suprir as necessidades da população.


resposta:[28]

10. (UFSM) 
 

Entre os tesouros encontrados no túmulo de Tutankhamon (faraó que reinou entre 1332 e 1322 a.C.), acha-se este baixo-relevo em ouro representando uma cena da vida privada da família real: a esposa do faraó esfregando óleo perfumado no corpo do marido. Dos artesãos e trabalhadores em geral que produziram o túmulo e suas riquezas, não se acharam vestígios. Sobre essas figuras anônimas, pode-se afirmar:
I. Eram cidadãos do Estado teocrático egípcio e, como tais, tinham direitos semelhantes aos dos seus reis e patrões.
II. Serviram aos soberanos egípcios e garantiram a sobrevivência dos valores deles por meio de obras artísticas.
III. Eram operários das obras funerárias dos reis e aristocratas e tinham seus direitos garantidos por severa legislação do Código de Hamurabi.
IV. Eram homens e mulheres que entregavam o trabalho e a vida para que a grandeza do Estado egípcio se perpetuasse no tempo.

Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas I e II.
c) apenas II e IV.
d) apenas III e IV.
e) I, II, III e IV.


resposta:[C]

11. (UFSC/SC) Sobre o Egito Antigo, é correto afirmar que:
1 - a construção das pirâmides atendia às necessidades da vida após a morte dos faraós. Esse tipo de construção foi característica da arquitetura funerária durante todo o período do Egito Antigo e só foi possível graças à enorme mão-de-obra escrava existente desde o Antigo Reino;
2 - o Rio Nilo foi de suma importância em vários aspectos da vida dos antigos egípcios. Não só a agricultura foi possível devido ao seu ciclo de cheias, como também a noção de tempo cíclico, base do pensamento egípcio, levou à crença na vida após a morte;
4 - a despeito da influência islâmica, o Egito atual mantém as mesmas crenças religiosas do Egito Antigo;
8 - os egípcios antigos acreditavam em vários deuses que se relacionavam entre si e formavam seu sistema mitológico.


resposta:[10]

12. (UFMS) A respeito da sociedade egípcia da Antiguidade Oriental, é correto afirmar que:
a) a formação dos “nomos”, as reuniões de comunidades de aldeias, ocorreu após a formação do Estado, o qual emergiu entre 4000 e 3000 a.C;
b) o Estado egípcio era uma “Monarquia Despótica”, isto é, uma monarquia em que o soberano era ao mesmo tempo um governante e um deus;
c) o faraó governava por meio de um aparelho burocrático bastante simples e eficiente, constituído basicamente por alguns escribas e soldados;
d) o exército egípcio era pequeno, não-profissionalizado e empregado apenas na defesa do faraó e de sua família;
e) a escravidão coletiva foi o regime de produção dominante na época.


resposta:[B]

13. (CEFET/PR) A arquitetura dos templos do Antigo Egito apresentava entre suas características:
a) a utilização de tijolos de argila queimada na construção de colunas e paredes;
b) o seu reduzido tamanho, por serem apenas moradia da divindade;
c) a inexistência de telhados, uma vez que quase não ocorriam chuvas durante todo o ano;
d) a ausência de esculturas, uma vez que os preceitos religiosos de então não permitiam a representação da figura humana;
e) a excessiva grandeza em suas dimensões e solidez na construção, com emprego intensivo de pedra como matéria-prima.


resposta:[E]

14. (FATEC-SP) As manifestações religiosas da cultura egípcia caracterizaram-se por uma estreita relação com a natureza. Por isso:
a) os deuses assumiram formas de animais ou de forças da natureza;
b) os templos obedeciam às linhas ditadas pelas formas naturais, impedindo a criatividade dos artistas;
c) todos os mortos eram colocados em sarcófagos e guardados nas pirâmides para serem protegidos contra a ira divina da natureza;
d) as esculturas humanas não possuíam feições definidas pelo temor de ofender aos deuses da natureza;
e) a astronomia foi pouco desenvolvida em virtude do misticismo que cercava os estudos dos astros.

resposta:[A]

15. (CEFET/PR) Com relação ao Antigo Egito, assinale a alternativa verdadeira:
a) Os antigos egípcios não acreditavam na existência da alma.
b) O faraó Amenóphis IV tentou implantar o culto politeísta.
c) As mastabas, as pirâmides e os hipogeus eram câmaras funerárias.
d) Os egípcios desenvolveram a química e a matemática.
e) A pintura e a escultura tiveram artes em desenvolvimento limitado.

resposta:[C]

16. (Unesp) Os Estados Teocráticos da Mesopotâmia e do Egito evoluíram acumulando características comuns e peculiares culturais. Os egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o corpo humano porque:
a) se opunham ao politeísmo dominante na época;
b) os seus deuses, sempre prontos para castigar os pecadores, desencadeavam o dilúvio;
c) depois da morte, a alma podia voltar ao corpo mumificado;
d) havia necessidade de construção de túmulos em forma de pirâmides, erigidos para a eternidade;
e) somente haveria possibilidade de salvação para os camponeses.


resposta:[C]

17. (PUC-PR) “A literatura era consumida apenas pela aristocracia. As obras eram impregnadas de idéias religiosas e morais: entre elas podemos citar o Livro dos Mortos, o Discurso do Camponês Eloquente.”
“A arquitetura era sólida, de proporções colossais, tentando representar toda a força e o poder da monarquia; entre os exemplos podemos citar os templos de Lúxor e Karnac.”
“A escultura caracterizou-se pelo convencionalismo e a rigidez, explicados pelas concepções religiosas.”
Textos extraídos de Aquino. História das Sociedades. SP

Os aspectos artísticos e literários expressam a personalidade de um povo. Analisando os quadros acima, concluímos que se referem aos:
a) sumérios;
b) persas;
c) hebreus;
d) assírios;
e) egípcios.

resposta:[E]

18. (FPM/SP) Sobre a sociedade egípcia, assinalar as alternativas corretas:
1 - Na parte superior da sociedade estava o faraó, um verdadeiro deus vivo.
2 - Abaixo do faraó vinham os membros da nobreza, constituída pelos parentes do faraó, pelos altos funcionários e pelos sacerdotes.
4 - Os sacerdotes em geral formavam um grupo à parte e gozavam de muito prestígio, devido às funções que exerciam.
8 - Os escribas preenchiam os cargos administrativos; a maioria da população era formada por camponeses.
16 - Os camponeses, artesãos e escravos em geral tinham um bom nível de vida.

resposta:[15]

19. (EMESCAM/ES) A vida política do Antigo Império do Egito possuía alguns traços peculiares, como o fato de que:
a) a separação entre o Estado e a religião era total, pois não havia uma religião oficial;
b) os governantes dos nomos eram diretamente eleitos pelo povo, ainda que subordinados pelo faraó;
c) a monarquia, a fim de evitar o despotismo, não tinha caráter hereditário;
d) o faraó exercia o poder como Deus; assim, era mais uma teocracia que autocracia;
e) os poderes executivo e judiciário confundiam-se, sendo o faraó o juiz supremo, salvo nos casos que envolvessem crime político.


resposta:[D]

20. Assinale a alternativa correta.
“O Egito, presente do Nilo”. Desta frase do historiador grego Heródoto, podemos afirmar que:
a) o sistema econômico dos egípcios repousava, principalmente, numa base agrária alimentada em função do Nilo;
b) o Nilo propiciava excelente meio de transporte para mercadorias que alimentavam um grande comércio;
c) as “indústrias” das aldeias no curso do Nilo eram incentivadas à produção pela facilidade oferecida pelo transporte fluvial;
d) as obras monumentais, muitas existentes até hoje, eram adornadas pelo ouro de lavagem, oferecido pelo rio;
e) todas as alternativas estão corretas.

resposta:[A]

21. (PUC-PR) Sobre a civilização egípcia, é correto afirmar que:
I. Tínis e Mênfis foram capitais do Antigo Império, caracterizado no geral pela paz, teocracia nas primeiras dinastias e construção das grandes pirâmides de Gizé, das quais a de Quéops é o maior destaque.
II. A civilização egípcia pôde desenvolver-se no Nordeste africano graças ao Rio Nilo, que proporciona inundações anuais. A dependência da vida do Egito para com o grande rio foi resumida por Heródoto, “Pai da História”, na frase: “O Egito é um dom do Nilo” ou “O Egito é uma dádiva do Nilo”.
III. A religião foi elemento cultural que mais atuou na vida do povo egípcio, embora fosse politeísta, exceto no período do Novo Império, quando ocorreu a revolução ou reforma de Amenófis IV. Este faraó estabeleceu o culto monoteísta de Aton, simbolizado pelo disco solar.
IV. Tendo longa duração, cerca de 40 séculos, a civilização egípcia somente desapareceu com a Queda de Constantinopla, em 1453.

Estão corretas:
a) apenas as opções I e II;
b) apenas as opções II e III;
c) apenas as opções I, II e III;
d) apenas as opções I, III e IV;
e)  todas as opções estão corretas.

resposta:[C]

22. (UTP/PR) “Salve, ó Nilo... Regas a terra em toda parte, ó deus dos grãos, senhor dos peixes, produtor do trigo e da cevada... Logo que tuas águas se erguem, a terra se agita de alegria...”

O Rio Nilo era a força que movimentava a economia da sociedade que, na região, se organizou. As características do sistema econômico lá implantado foram:
I. atividade econômica dirigida pelo poder central, como resultante da estrutura geográfica;
II. a economia se organizou segundo o modo de produção asiático;
III. a presença marcante da propriedade privada do solo, permitindo, então, um bom progresso técnico;
IV. uma produção voltada para o mercado, superando a economia natural.
Estão corretas:
a) I, II, III e IV;
b) I, II e III;
c) I e II;
d) III e IV;
e) I, III e IV.

resposta:[C]

23. Durante o Novo Império Egípcio, ocorreu a reforma religiosa. Assinale abaixo a alternativa que contenha os elementos desta reforma:
a) instalação de um culto monoteísta liderado por Amenófis IV;
b) separação radical entre religião e Estado, em nome da república;
c) extinção do caráter hereditário do processo político;
d) ascensão da crença em Amon-Rá, principal deus dos egípcios;
e) No Egito, muitos animais gozavam de um culto todo especial. Houve maior intensidade desta mentalidade com a reforma.


resposta:[A]

 
24. (UEL/PR) No Novo Império, a revolução religiosa, promovida por Amenófis IV, teve grande significado porque se constituiu na:
a) expulsão dos hicsos, povos semitas que dominaram o Egito desde o Antigo Império;
b) unificação das diferentes províncias – nomos – evitando, assim, a fragmentação do Estado;
c) introdução do monoteísmo religioso, a fim de barrar o crescimento político do clero;
d) realização de modificações na estrutura social do Egito para eliminar as oligarquias agrárias;
e) promoção de uma ampla e irrestrita reforma agrária, visando diminuir as diferenças sociais.


resposta:[C]

25. (Unesp)
 
Observe e compare as imagens seguintes.











a) Cite uma diferença na forma de representação do corpo humano numa e noutra escultura.
b) Explique a importância da escrita para o Estado egípcio na época dos faraós e a dos jogos olímpicos para as cidades gregas do século VIII a.C. ao V a.C.
resposta:
a) Quanto à anatomia humana o “escriba sentado” revela uma representação estilizada e simplista, enquanto o “discóbolo” evidencia maior fidelidade. O segundo revela ainda uma sensação de movimento ao passo que o primeiro um caráter estático.

b) A escrita era fundamental para as questões administrativas e fiscais para o Estado egípcio, sobretudo na elaboração dos relatórios relativos à coleta e armazenamento dos cereais nos depósitos do Estado e sua posterior distribuição entre a população. Os Jogos Olímpicos constituíam, além de significativo evento, um fator de confraternização entre as cidades gregas.

26. O faraó egípcio personificava todos os grandes poderes do Estado, sendo um deus vivo. Essa atribuição resultava numa autoridade de característica:
a) materialista;
b) teocêntrica;
c) antropocêntrica;
d) racional;
e) democrática.

resposta:[B]

27. (UFPE) A religião teve uma presença marcante na história dos povos antigos. Entre estes, os egípcios se destacam, pois a atividade religiosa exercia grande influência em todos os aspectos de sua vida. Sobre este tema, podemos afirmar que:
0)   cerimônias religiosas eram realizadas pelos sacerdotes a cada ano, para garantir a chegada da inundação, e o faraó agradecia a colheita solenemente às diversas divindades;
1)  a religião tinha um significado fundamental na vida pública, mas a vida privada dependia dos Oráculos. Quando os homens do povo tomavam uma decisão importante, consultavam o oráculo da sua família;
2) a religião penetrava intimamente a vida pública. A vida privada era independente da religião do Estado, e as mulheres, por serem as maiores responsáveis pela atividade agrícola, cuidavam da religião doméstica;
3) os Oráculos dos deuses desempenhavam um papel importante na solução de problemas políticos e burocráticos;
4) a importância da religião na vida do povo egípcio pode ser avaliada pela prática de as mulheres sem filhos se desnudarem diante de touros ou carneiros sagrados, esperando mudar a condição de esterilidade por sua exposição a tais símbolos de fertilidade.



resposta:[V, F, F, V, V]

28. (UFC) Considerando a escrita egípcia, é correto afirmar que:
a) a utilização de recursos decorativos favoreceu a escrita em virtude de facilitar a compreensão popular;
b) os sinais apresentados constituíam um aperfeiçoamento da arte profana como forma de expressão;
c) a diversidade de sinais utilizados tornava complexa a representação do que se queria exprimir;
d) a diversidade de sinais utilizados na escrita resultou de uma imposição religiosa;
e) os desenhos elaborados representavam uma simplificação da escrita hierática.

resposta:[C]

29. (UFPE) Em relação à arte do Egito Antigo, assinale a alternativa correta.
a) Visava à valorização individual do artista.
b) Manifestava as ideias estéticas com representações da natureza, evitando a representação da figura humana.
c) Estava destinada à glorificação do faraó e à representação da vida de além-túmulo.
d) Aproveitava os hieróglifos como ornamentação.
e) Era um arte abstrata de difícil interpretação.

resposta:[C]
           
30. (G1) Desejando reduzir a influência dos sacerdotes sobre a população, o faraó Amenófis IV, no Novo Império, realizou uma reforma religiosa implantando:

a) o monoteísmo.
b) o antropozooformismo.
c) o politeísmo.
d) o culto a Zaratrusta.
e) o culto a Jeová.




Resposta:[A]

Nenhum comentário:

Postar um comentário